Foto: Basar/Shutterstock.com

Tamanho da fonte: -A+A

A campanha salarial dos trabalhadores de Tecnologia da Informação do Estado de São Paulo terminou na sexta-feira, 23, com um acordo de reajuste de salários de 7% e do piso salarial de 7,8%. O índice representa 1,57 ponto percentual acima da inflação no período. 

Os trabalhadores de TI também garantiram outros benefícios, como direito a receber Participação nos Lucros e/ou Resultados (PLR) e vale-refeição (VR). O vale-refeição deverá ser no valor mínimo de R$ 15 para empresas com mais de 20 funcionários, para jornada de 8 horas. 

Seis meses após a assinatura do acordo salarial, empresas com dez ou mais trabalhadores também deverão oferecer vale-refeição. A partir de 1 º de janeiro de 2016, as companhias estenderão o benefício para toda a categoria. 

Já o pagamento da PLR deverá ser realizado por todas as empresas, independente do quadro de funcionários.

O acordo foi fechado na terceira rodada - diferente de 2014, quando houve paralisação da categoria. O Sindpd reivindicava reajuste de 10,5% e o sindicato patronal oferecia 6,5%.

“Consideramos que esta Convenção Coletiva de Trabalho é positiva para ambos os lados, especialmente para os trabalhadores de TI. A Convenção foi fechada pelo conjunto dos benefícios acordados e garante questões fundamentais como PLR e VR”, diz o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados e Tecnologia da Informação do estado de São Paulo (Sindpd), Antonio Neto.