A Apple vai anunciar que vendeu mais iPhones na China do que nos EUA. Foto: 2nix Studio/Shutterstock.com

A Apple deve anunciar nesta semana que vendeu mais iPhones na China do que nos Estados Unidos pela primeira vez em 2014.

Segundo o Business Insider, a informação confirmaria uma nota feita anteriormente por Steven Milunovich, analista da UBS, empresa de serviços financeiros.

"Dados recentes sugerem que a demanda por iPhone apresentou descomunal crescimento na China, levando o país, possivelmente, a ser responsável por até 35% dos embarques do aparelho no trimestre, em comparação com os 22% do ano passado”, afirmou ele.

A Apple tem constantemente aumentando os seus esforços na China nos últimos anos. 

Em dezembro de 2013, a empresa chegou a um acordo com a China Mobile - a maior operadora do país, que tem mais assinantes do que Verizon, AT & T e Sprint combinadas - para vender o iPhone 5S, e agora o iPhone 6 e 6 Plus.

Esse aumento nas vendas é algo muito significativo para a Apple. Em outubro, o CEO Tim Cook previu que seria “apenas uma questão de tempo" até a China tornar-se o "maior contribuinte das receitas da Apple". 

Agora, com o iPhone trazendo mais dinheiro para a empresa, a China provavelmente se tornará o mercado mais valioso da Apple. Na sexta-feira, Cook comemorou a abertura de uma nova loja da Apple no país.

A China pode ser responsável por mais receita com iPhone do que os EUA, mas a Apple ainda não é a fabricante de smartphone mais popular do país. 

Esse título pertence a Xiaomi, que tem muitas semelhanças com a Apple em termos de design e marketing, mas vende seus telefones com preços bem mais baixos.

Em outubro do ano passado, a Xiaomi se tornou a terceira maior fabricante de smartphones do mundo, em grande parte devido ao sucesso do aparelho MI4, segundo a IDC.