Web Summit é um grande evento sobre inovação.

Um dos maiores eventos de tecnologia e inovação do mundo, o Web Summit, terá uma edição no Brasil em 2022 e ela deve acontecer em Porto Alegre ou no Rio de Janeiro.

A informação veio direto do CEO do evento, Paddy Cosgrave, que fez o anúncio na sua conta do Twitter nesta terça-feira, 24.

"Em 2022, haverá um Web Summit sul-americano. Nos últimos dois anos, passamos de uma lista de cinco países para um: o Brasil. Agora precisamos escolher entre duas cidades incríveis: Rio de Janeiro ou Porto Alegre? O que diz você?", escreveu Cosgrave.

Pelo menos em termos de resposta ao tweet, Porto Alegre saiu na frente. Disparado.

O governador Eduardo Leite (PSDB) escreveu dois tuítes sobre o tema, explicando em um deles que o Rio Grande do Sul “pode não parecer o candidato óbvio, mas é o próximo lugar a estar”.

“Porto Alegre é referência em inovação e próximo aos polos de negócios da América Latina. Além disso, o evento mais inovador do mundo é tudo menos óbvio, certo?”, afirmou Leite.

De acordo com uma nota do governo gaúcho, o tema é tratado desde o início do ano, juntamente com a prefeitura da capital e diversos parceiros, como o parque tecnológico Tecnopuc, uma das referências do país, e 4all, startup do criador da Getnet, José Renato Hopf.

O governo gaúcho já tinha inclusive uma visita agendada de Paddy Cosgrave ao estado para março, que precisou ser cancelada. A movimentação vinha acontecendo em silêncio, porque até o tweet de Cosgrave não se ouviu uma palavra sobre o assunto, o que é raro em algo desse porte.

“Estamos trabalhando forte para trazer um dos maiores eventos de inovação no mundo”, afirma o secretário de Planejamento, Governança e Gestão, Cláudio Gastal, é o líder do governo na força-tarefa focada no assunto.

O tweet de Cosgrave, que não deixa de ser uma forma de tirar uma temperatura, teve 132 reações, quase todas aparentemente a favor de Porto Alegre.

A lista de respostas inclui o atual prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan, o ex-prefeito José Fortunati, o secretário de Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, Luis Lamb, vereadores da capital e comunicadores da RBS, além de inúmeros perfis do Twitter. 

Do lado carioca, aparentemente nenhuma reação até agora. A conta oficial do governo estadual não mencionou o tema, assim como a do governador em exercício do estado, Cláudio Castro.

A falta de reação provavelmente tem que ver com a crise política no Rio de Janeiro, cujo governador, Wilson Witzel, enfrenta um pedido de impeachment e foi afastado do mandato por determinação do Superior Tribunal de Justiça ainda em agosto, por suspeitas de irregularidades na saúde.

O Rio Grande do Sul está dando um banho de mobilização, mas, como reconhece o governador gaúcho, Porto Alegre é a escolha “menos óbvia” para um evento do porte do Web Summit, que atraiu 70 mil visitantes de todo o mundo para Lisboa na última edição, em novembro de 2019.

Apesar do caos administrativo, o Rio de Janeiro é um dos principais destinos turísticos do Brasil, com um nome reconhecido internacionalmente, conexões aéreas internacionais diretas e uma grande rede hoteleira. 

Por outro lado, se o Rio Grande do Sul fica atrás nesses quesitos, o estado tem uma cena tecnológica forte, com grandes multinacionais de tecnologia como SAP, HPE e Dell, pelo menos uma dezena de empresas locais de tecnologia de porte médio e parques tecnológicos que são referências nacionais, como o Tecnopuc, em Porto Alegre, ou o Tecnosinos, em São Leopoldo, na região metropolitana da capital gaúcha.

Com uma articulação desses atores, Porto Alegre poderia oferecer um destino mais interessante para os representantes de grandes empresas e donos de startups que compõem o público do Web Summit, que em tese está mais interessado em ideias, network e insights, do que em visitas à praia.

O Web Summit foca em tecnologia emergente e já trouxe para Lisboa palestrantes nomes referências na área de tecnologia como Elon Musk, Niklas Zennström, Werner Vogels e Michael Dell junto com gente famosa e influente de todo tipo, incluindo Ronaldinho Gaúcho, Carlos Ghosn, Tony Blair, Garry Kasparov e Stephen Hawking.