O objetivo do Cerne é criar um modelo e um padrão de atuação das incubadoras. Foto: Pexels

Durante a 26ª Conferência Anprotec de Empreendedorismo e Ambientes de Inovação, realizada na última semana, foi entregue a certificação do primeiro grupo de incubadoras consideradas aptas a se tornarem Centro de Referência para Apoio a Novos Empreendimentos (Cerne). 

As avaliações foram realizadas pelo Instituto Christiano Becker, entidade responsável pela certificação. No total, nove incubadoras do país receberam o selo Cerne 01:

- Centro de Empreendedorismo e Inovação da Universidade Federal de Goiás (CEI-PROINE)

- Centro Empresarial para Laboração de Tecnologias Avançadas (CELTA)

- Centro Incubador Tecnológico – CIT (FUNDETEC)

- Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS (RAIAR)

- Incubadora Tecnológica Natal Central – ITNC

- Incubadora Tecnológica Softville

- Instituto Empresarial de Incubação e Inovação Tecnológica (IEITEC)

- Instituto Gene

- Midi Tecnológico

- Núcleo de Incubação do Porto Digital

O objetivo do Cerne é criar um modelo e um padrão de atuação das incubadoras, de forma a ampliar a capacidade de gerar empreendimentos inovadores e bem sucedidos. O Cerne 01 é o primeiro nível da metodologia de gestão.

“A certificação contribui para o aprimoramento dos processos da incubadora, impactando diretamente no apoio oferecido às empresas”, explica Kamila Bittarello, coordenadora técnica do MIDI Tecnológico.