Pesquisa realizada pela IBM mostra que 25% dos diretores de segurança (CISOs) estão mais focados em estratégias de negócios que em tecnologia.

Foram ouvidos executivos de 138 países, incluindo Brasil, Estados Unidos e Alemanha.

Cerca de 20% dos entrevistados comandam a segurança da informação em empresas com mais de 10 mil funcionários e 55% estão em empresas com 1.000 a 9.999 funcionários.

De acordo com Roberto Engler, gerente de ISS (IBM Security Systems) da IBM Brasil, o tema segurança está evoluindo dentro das empresas, independentemente do segmento ou país em que atuam.

“O aumento na quantidade e a sofisticação das ameaças externas, consideradas como o principal desafio de segurança nas empresas, causam um impacto financeiro muito grande nas corporações”, ressalta.

Com relação aos gastos com segurança da informação, dois terços dos entrevistados esperam que os orçamentos aumentem.

Entre eles, quase 90% prevê um crescimento de dois dígitos nos próximos dois anos. Já um, em cada dez dos respondentes, estimam um aumento de 50% ou mais.

O estudo ainda identificou três tipos de líderes: protetores (47%), responsivos (28%) e  influenciadores (25%).

Representando quase metade dos entrevistados, os protetores reconhecem a importância da informação como prioridade estratégica, porém lhe falta maior autoridade de orçamento necessária para transformar a abordagem de segurança de suas empresas.