A Datacom, fabricante gaúcha de equipamentos de telecomunicações, assinou um convênio de cooperação tecnológica com o CPqD com foco no protocolo aberto OpenFlow.

O objetivo é avaliar como fazer o melhor uso da tecnologia emergente de redes definidas por software (SDN, na sigla em inglês).

“Trata-se de uma parceria estratégica, que prevê vários planos de trabalho, visando o desenvolvimento de soluções e produtos no estado da arte da tecnologia em nível mundial”, afirma Hélio Graciosa, presidente do CPqD.

O primeiro plano de trabalho, definido na assinatura do convênio, consiste em um projeto piloto envolvendo a implantação de uma rede de teste baseada na tecnologia OpenFlow, com o objetivo de integrar as soluções do CPqD e da Datacom.

“Com a tecnologia OpenFlow, os clientes - operadoras de infraestrutura e provedores de serviços - passam a ter a capacidade de inovar, tanto na oferta de serviços e seus modelos de negócio como na operação de seus ambientes de redes, de acordo com suas necessidades”, explica Antonio Carlos Porto, presidente da Datacom.

A empresa já lançou duas novas linhas de switches com suporte para redes definidas por software .

As linhas DM4000 e DM4100 da fabricante gaúcha de equipamento de telecomunicações foram apresentadas durante a reunião semestral da ANSP – Rede Acadêmica de São Paulo, no começo de novembro.

Os padrões do SND são mantidos pela Open Networking Foundation, uma entidade sem fins lucrativos criada em 2011 pela Deusche Telekom, Facebook, Google, Microsoft, Verizon e Yahoo.

Uma análise da consultoria especializada Dell’Oro Group, prevê que o mercado SDN como um todo deve saltar de US$ 200 milhões no ano passado para cerca de US$ 2 bilhões até 2016.

A Datacom é uma empresa gaúcha que no ano passado projetava faturamento de R$ 180 milhões, cerca de 31% a mais do que em 2010, e que entre 2011 e 2016 prevê investimentos na casa dos R$ 200 milhões em P&D e produção.

A companhia tem 800 colaboradores, dos quais 400 em pesquisa e desenvolvimento e uma fábrica com capacidade de produzir 100 mil equipamentos/mês.

O CPqD é uma instituição independente, com foco na inovação em tecnologias da informação e comunicação (TICs), com mais de 1,4 mil profissionais.