A Kaltura é provedora de uma plataforma aberta de vídeo. Foto: Divulgação.

Mais da metade (52%) dos entrevistados por uma pesquisa anual da Kaltura, provedora de plataforma aberta de vídeo, afirma que suas instituições de ensino utilizam vídeos em seus sistemas de aprendizagem. 

O estudo entrevistou 1,5 mil pessoas em abril de 2016. Os resultados revelam uma dinâmica positiva desde o último levantamento, no uso do vídeo no ensino superior através de diferentes áreas.

Agora, 75% dos estudantes do ensino superior usam o vídeo em suas atribuições, um aumento de 4% no valor de 71% do ano passado. 

Nas salas de aula, 58% dos entrevistados de ensino superior afirmam que as suas instituições utilizam o vídeo, enquanto o índice estava em 50% em 2015. 

O uso de vídeo para fornecer feedback aos alunos cresceu de 26% para 32% em 2016.

De acordo com Edmar Moraes, gerente geral da Kaltura para a América Latina, o vídeo está transformando a experiência de ensinar e aprender, principalmente no país. 

“As ferramentas de aprendizagem colaborativa são cruciais para aumentar o envolvimento dos alunos. As instituições que ainda não têm uma estratégia abrangente de vídeo em seu ano letivo correm o risco de ficar para trás”, explica o executivo.

Os entrevistados incluíram educadores, designers instrucionais, profissionais de TI, profissionais de mídia digital, administradores seniores e estudantes de todo o mundo.

A plataforma online de vídeos OpenSource Kaltura tem Microsoft, PromonLogicalis, AD-Digital e NextVision como parceiros no Brasil.

Entre os clientes da companhia no país estão ESPM, Infomoney, SaintPaul, Tuner, Shoptime, Clarín, TV Azteca, Prudential, Descomplica, TV Record, Grupo Laurete, Universidade Cruzeiro do Sul, entre outros. 

A empresa foi criada em 2006 por Ron Yekutiel, Shay David, Michal Tsur e Eran Etam e atualmente possui sua sede em Nova York. Desde sua fundação, já recebeu mais de US$ 130 milhões em investimentos.