Commcorp tem cinco data centers no Brasil. Foto: wavebreakmedia / shutterstock

A Commcorp, empresa de data center sediada em Porto Alegre, acaba de adquirir o centro de dados do portal Terra na capital gaúcha.

Com o negócio, que não teve valores divulgados, a empresa passa a ter dois data centers em Porto Alegre, localizados a pouco mais de 500 metros um do outro. 

O Terra seguirá usando a estrutura, agora como um cliente da Commcorp, ocupando um terço da infraestrutura (vale lembrar que o site decidiu concentrar a maior parte dos seus servidores em São Paulo e Miami ainda em 2013).

A Commcorp fez um investimento adicional de R$ 12 milhões no centro e incorporou a equipe comercial de data center do Terra, composta por seis pessoas. No começo do ano passado, a empresa investiu R$ 3 milhões no seu data center paranaense.

A empresa já tem cinco data centers no país, incluindo os dois de Porto Alegre e Curitiba, São Paulo e Florianópolis e Miami, atendendo clientes como Fiergs, Grupo SLC, Unimed Porto Alegre, Netflix, Grupo Paquetá, entre outros.

Com o centro do Terra, a capacidade chega a para 250 racks e 1GW de energia redundante. 

Além dos datacenters, a Commcorp opera também mais de 30 datacarriers do Grupo Compuline, presente em todo o país e atuando como fornecedor de conectividade para operadoras e mercado corporativo. 

De acordo com dados do Ibope de fevereiro, o Terra é o quarto portal de notícias mais acessado do país, com 5,8 milhões de visitantes únicos e o quinto em pageviews, com 42 milhões. No primeiro quesito, o site só fica atrás de Globo, UOL e Estadão.

A venda do data center para a Commcorp é mais um movimento do Terra para reduzir custos.

Em agosto, o Baguete revelou com exclusividade que a empresa tinha trocado a multinacional francesa Capgemini (antiga CPM Braxis) pela brasileira Stefanini para administrar o Centro de Operações Regionais, um centro de suporte instalado em Porto Alegre com cerca de 30 profissionais.

O centro gerencia a página do Terra, incluindo servidores, switches, sistemas e o software Vignette, com o qual a empresa faz o gerenciamento de conteúdo.

No mesmo mês, o portal de notícias anunciou 140 demissões, 60 delas na área editorial, entre as operações de São Paulo e Porto Alegre.

O Terra está passando por um momento de transição. No começo do ano, a empresa anunciou uma reformulação do seu portal, a um custo de aproximadamente US$ 10 milhões.

O plano com o novo visual era criar uma página mais personalizada para diferentes usuários, com o que o portal pretendia aumentar a receita com publicidade em 20% em 2014. A publicidade representa 40% da receita do Terra, que gira em torno de € 300 milhões.