Registro de visitas é um dos recursos imprescindíveis para a empresa. Foto: divulgação.

A iFood adotou a solução da FieldLink, startup voltada para a gestão de equipes remotas,  para acompanhar o desempenho de colaboradores das áreas comercial externa e de key account da empresa.

Segundo a companhia, a solução começou a ser usada pela iFood há um ano para análise do indicador-chave de desempenho (KPI) dos executivos, feedback e desenvolvimento de plano de ação. 

Com a pandemia, o desafios de acompanhar remotamente as operações e de coletar indicadores para uma liderança efetiva se intensificaram. A ferramenta da FieldLink supriu as necessidades originadas nesse novo cenário — tanto no trabalho em campo quanto no home office.

De acordo com a empresa, algumas funcionalidades se tornaram imprescindíveis durante a pandemia, como o registro de visitas, a visibilidade de como os profissionais se comportam e de quais são os gaps ou os executivos que precisam ser acelerados, além dos formulários de coach que os gestores de vendas têm de fazer com seus liderados.

Nos últimos seis meses, a ferramenta ajudou a empresa a aumentar a produtividade da equipe de captação em 100%.

"Antes de implementarmos a ferramenta, não tínhamos nenhuma apuração e controle sobre a produtividade do time de campo e o tipo de visitas realizadas, sendo que hoje já se tornou nossa cultura fazer o acompanhamento dessas métricas", conta José Berardo Pérez, coordenador de planejamento comercial da iFood.

Para os colaboradores, o aplicativo funciona como um assistente pessoal, que permite o acesso a informações mesmo longe da companhia. Ele administra a agenda e os contatos, centraliza o histórico do cliente e da evolução de propostas e faz sugestões personalizadas de leads, além de  simplificar e automatizar processos.

Após a chegada da pandemia, a FieldLink adicionou uma nova função à sua plataforma: o contact tracking, usado para identificar rotas de disseminação da Covid-19 nos últimos 30 dias.

Como a ferramenta consegue acompanhar as jornadas durante o horário de trabalho, a empresa cruza as informações do histórico dos colaboradores para detectar a proximidade física e, assim, poder isolar quem tiver sido exposto ao vírus.

Criada em 2016, a Fieldlink tem como fundadores Diego Cueva (CEO), Fabrizio Battistella (COO) e Rafael Gonçalves (CTO), que já haviam empreendido juntos anteriormente na Tegris, uma empresa especializada em monitoramento e controle de sistemas remotos.

A FieldLink acabou de receber um aporte de R$ 1 milhão da Iporanga Ventures e, além da iFood, tem clientes como Itaú, Banco do Brasil, Peugeot, Accenture, CPFL e Grupo Pão de Açúcar. 

Há oito anos no mercado, a iFood é de origem brasileira e está presente também no México e Colômbia. São mais de 26,6 milhões de pedidos por mês, mais de 131 mil restaurantes cadastrados na plataforma em 912 cidades.

A companhia conta com o investimento da Movile, líder global em marketplaces móveis, e da Just Eat, uma das maiores empresas de pedidos on-line do mundo.