Valid listou ações com esforços restritos. Foto: ShutterStock.

A Valid, empresa nacional especializada em soluções de identificação, pagamentos, telecom e segurança digital, concluiu sua oferta de ações com esforços restritos, captando R$ 396 milhões.

Segundo reporta o Valor, os recursos serão usados para a compra da dinamarquesa Fundamenture, companhia que produz chips para smartphones (SIM cards). Com isso, a empresa pretende iniciar operações na Europa, Ásia e África. A empresa já está no Brasil, Estados Unidos e América do Sul.

Uma oferta de esforços restritos corresponde a registro de ofertas de determinados valores mobiliários, como debêntures não conversíveis em ações, Cotas de fundos de investimentos fechados, Commercial Papers, certificados de recebíveis imobiliários, certificados de agronegócio, Cédula de Crédito Bancário (“CCB”) e Letras Financeiras.

Na prática, a oferta de ações com esforços restritos funciona para empresas já listadas em bolsa como um aumento de capital simplificado e tem a vantagem que a captação pode ser mais rápida.

Na oferta com esforços restritos, esse prazo é de apenas 5 dias. A Valid precisou de 14 dias para concluir a captação. A operação foi coordenada por Itaú BBA, Bradesco BBI e BofA Merrill Lynch.

Os custos da Valid na operação somaram R$ 23 milhões, ou 5,8% do total da oferta. Nas operações com esforços restritos não há previsão para colocação de lotes extra ou suplementar.

A oferta não é direcionada ao varejo, apenas ao investidor qualificado, aquele que tem pelo menos R$ 1 milhão em investimentos.

Segundos os dados financeiros de 2013, últimos divulgados pela companhia, a Valid teve uma receita líquida de R$ 1,175 bilhão, cifra 31% superior aos R$ 896,7 milhões registrados em 2012.