SteamOS é voltado a jogos no PC mas com interface para a sala de estar. Foto: flickr.com/photos/o_0.

Agora é sério. Depois de anos ameaçando atacar forte no mercado de home gaming - mais especificamente os videogames que ficam na sala, como PS3 e Xbox - a Valve anunciou nesta segunda-feira, 23, o SteamOS, um sistema operacional voltado a jogos no PC, mas com uma interface otimizada para a sala de estar.

Baseado em Linux, o sistema operacional combina o Steam - serviço de venda digital de games da Valve - com uma interface otimizada para televisões, incluindo distribuição de conteúdos de video-on-demand (VOD) e streaming de música.

Segundo dados da Valve, atualmente o Steam conta com cerca de 56 milhões de assinantes.

Por ser baseado em Linux, o sistema será gratuito e disponibilizado em breve, segundo destacou a empresa. As informações são do The Verge.

Conforme apontam analistas, o anúncio da Valve reacende o antigo rumor do Steambox, console de videogame open source da Valve que estaria há anos em desenvolvimento e que deve ser anunciado em breve.

Segundo a companhia, mesmo sendo uma plataforma aberta, o SteamOS conta com o apoio das desenvolvedoras do game, que se comprometaram a lançar jogos AAA - categoria dada para os games mais avançados - em 2014 para o sistema.

Além disso, para contornar possíveis problemas com uma grande biblioteca de títulos desenvolvidos para Windows - esmagadora maioria dos assinantes do Steam - a Valve pretende empregar games via streaming para o novo sistema.

Com um novo sistema operacional, a Valve planeja se desvencilhar do Windows para vender seus produtos. Isso vai ao encontro da declaração do seu CEO, Gabe Newell, que afirmou que o Windows 8 era um "desastre" e uma ameaça ao mercado de games para PC.

"Como estamos trabalhando em levar o Steam para a sala de estar, chegamos à conclusão que o ambiente mais adequado para entregar valor para nossos clientes é por um sistema operacional baseado no próprio Steam", declarou a Valve, em nota.

Segundo a empresa, com uma plataforma própria, será possível proporcionar gráficos melhores, assim como aperfeiçoar a qualidade de áudio e resolver questões de latência em jogos online.

Para Sean Hollister, analista do The Verge, a Valve está apostando alto em sua abordagem no mercado dos games junto ao público mais casual. Aliás, esta chegada coincide com a nova geração de videogames - o Playstation 4, da Sony, e o Xbox One, da Microsoft.

"Parece muito com a estratégia do Android, quando o Google ofereceu uma plataforma livre baseada em Linux para fabricantes, com a expectativa de competir com a iOS, da Apple. Agora a Valve está fazendo isso com a Microsoft", observou.

Agora, resta saber em que lado os desenvolvedores de game acreditam mais. As apostas estão abertas.