SEM EVENTOS

Xiaomi: sem restrição de data nas vendas

24/08/2015 15:33

Interessados em adquirir o Redmi 2 poderão comprá-lo a qualquer dia ou hora.

Redmi2 agora pode ser comprado a qualquer hora. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

Depois de um mês e meio de operação no Brasil, a Xiaomi anunciou que agora venderá seus produtos sem restrição de data ou horário, deixando para trás o modelo de eventos de venda que marcou seu início no país.

Segundo destaca a fabricante chinesa, a partir desta terça-feira, dia 25, às 15 horas, os interessados em adquirir o Redmi 2 poderão comprá-lo a qualquer dia ou hora, acessando o site da empresa. Os eventos de vendas com data marcada acontecerão somente para o lançamento de novos produtos.

Para adquirir os produtos Xiaomi basta ter ou criar uma Conta Mi, no site Mi.com, e escolher seus produtos. As compras podem ser efetuadas por cartão ou por boleto bancário. O site Mi.com também aceita compras parceladas no cartão de crédito.

Conforme explicou a diretora de marketing da Xiaomi, Gabriela Viana, a mudança acompanha a estratégia da empresa no exterior, que abre a venda de seus produtos assim que ajusta a capacidade de produzir à demanda.

"Dessa forma também atendemos ao pedido de alguns Mi Fãs, simplificando ainda mais o processo", comenta Viana.

Apesar da explicação da Xiaomi para a mudança de perfil de venda, a empresa passou por indisposições com fãs desde a sua chegada ao país. Com eventos semanais de vendas, muitos não gostaram da espera para conseguir o celular da empresa.

Nos eventos de venda, as quantidades disponibilizadas do celular acabavam rapidamente. Além disso, a empresa não revelou informações sobre o tamanho dos lotes colocados à venda.

Em meio à isso tudo, marcas concorrentes, como a também asiática Asus, aproveitaram para cutucar a Xiaomi, também vendendo seus produtos pela internet, mas sem restrições de horário. Na semana passada, em 24 horas após o lançamento do Zenfone 2, a Asus registrou 12 mil telefones vendidos.

Veja também

INTERNET DAS COISAS
Xiaomi: de celulares à rede elétrica

Empresa quer ir além dos smartphones, lançando produtos como extensão elétrica, balanças conectadas e smart TV.

ACABOU O AMOR
Smartphones: caem as vendas no país

Levantamento do IDC aponta uma desaceleração de 16% das vendas em maio e uma queda na projeção de vendas em 2015.

MIMIMI
Início da Xiaomi gera insatisfação

Muitos consumidores que tinham feito o pré-cadastro para garantir seu aparelho não concluiram a compra.

MUDANÇAS
Samsung: os dias de glória chegam ao fim

Empresa teve queda no share de smartphones e perdeu o momento de alta no mercado.