Levantem seus cupons, por favor. Foto: flickr.com/photos/ausnahmezustand

Depois da febre inicial de 2011, quando parecia que o primo de todo mundo ia abrir um site do gênero, as compras coletivas se estabilizaram, tornando-se uma parte importante do e-commerce brasileiro.

Pelo menos é que aponta o primeiro levantamento sobre o tamanho do mercado, que apontou um faturamento de R$ 731,7 milhões acumulados nos seis primeiros meses de 2012, responderam por 7% do total do e-commerce brasileiro no período, que faturou R$ 10,2 bilhões.

A estimativa é que o mercado como um todo feche 2012 entre R$ 1,68 bilhão e  R$ 1,76 bilhão, uma alta entre 5% a 10%.

Os dados são de uma pesquisa feita pelo InfoSaveMe, ferramenta que monitoramento o mercado de compras coletivas, desenvolvida pelo SaveMe, agregador de buscas coletivas do Buscapé, em parceria com a e-bit.

De janeiro a junho de 2012, o mercado totalizou mais de 12 milhões de cupons vendidos, a um ticket médio de R$ 60. Foram 83.233 ofertas anunciadas, cujos descontos geraram uma economia de mais R$ 1,4 bilhão nos bolsos dos brasileiros.

Os dados foram colhidos junto aos 400 sites de compras coletivas em atividade no Brasil que, de acordo com os organizadores, concentram 90% do total de mercado. No auge da bolha em torno do tema, estimativas apontaram mais de 1,5 mil sites do gênero operando no Brasil.

Dados da própria SaveMe divulgados no final de 2011 apontam que a concentração das vendas pode ser bem maior: os oito maiores portais do tipo no país concentrariam 85% do faturamento do setor.
 
O QUE SE COMPRA
As passagens aéreas, cruzeiros e hospedagens com descontos são um dos líderes em vendas.Foram R$ 194,6 milhões arrecadados pelo setor de Hotéis e Viagens de janeiro a junho, ou 26,6% do total do período, com ticket médio de R$ 349,25.

A segunda categoria mais representativa foi a de Produtos, com quase R$ 180 milhões faturados. Saúde Beleza e Restaurantes completam os faturamentos acima de R$ 100 milhões no período. Juntos, esses quatro grupos somaram por volta de 85% do total dos ganhos do semestre.

ONDE SE COMPRA
Na divisão por mercados, o destaque fica com as Ofertas Nacionais, que, como indica o nome, são anunciadas e vendidas no Brasil inteiro. A categoria acumulou R$ 261,2 milhões no primeiro semestre, ou seja, 35,7% do total, vendendo 1,7 milhão de cupons a um ticket médio de R$ 145,21.

Nos mercados locais, que concentram basicamente as categorias de serviços, a cidade de São Paulo detém os maiores índices de faturamento (R$ 120,5 milhões) e de vendas de cupons (2,3 milhões). Em seguida, aparecem Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e Salvador, entre outras cidades.

QUEM COMPRA
O relatório do InfoSaveMe traz, ainda, dados sobre os consumidores de compras coletivas, fruto de um estudo encomendado pelo SaveMe à agência Euro. Realizado com 2.426 pessoas, o levantamento mostra um público majoritariamente feminino (61%), com idade entre 25 e 34 anos e ensino superior completo.

Além disso, 44% dos entrevistados entram em sites de compras coletivas diariamente para conferir as ofertas; 55% têm o hábito de ler apenas as ofertas locais, enquanto 42% acompanham tanto as ofertas locais como as nacionais.