Potencial para e-commerce? Foto: Jefferson Bernardes - Agência Preview

O Grêmio acaba de colocar no ar o seu comparador de preços, o Grêmio Busca, fornecido pela startup gaúcha S4Fans.

Através do portal, é possível pesquisar preços de 30 categorias diferentes de produtos em 110 sites de e-commerce, incluindo os maiores nomes do comércio eletrônico nacional como Submarino, NetShoes, Americanas.com; portais de nicho como Sephora, Shutz e Mobly e sites de viagem como Submarino Viagens, Viaja.net, Azul e TAM.

A S4Fans foi fundada em julho do ano passado por Tiago Moreira Totti e Felipe Dorneles como um pivot do Piggli.com, um site de ofertas e descontos criado pelos empreendedores em 2013.

Totti e Dorneles foram sócios na fábrica de software Develop IT. A S4Fans tem investimento de três investidores anjo e uma equipe de desenvolvimento de nove pessoas.

O modelo de negócio é fechar lojas customizadas e dividir a comissão paga pelos e-commerce com os clientes, que entram no negócio promovendo a visibilidade dos portais de comparação de preços.

De acordo com uma pesquisa do jornal Lance feita pelo Ibope, o Grêmio tem a oitava maior torcida do Brasil, com cerca de 6 milhões de pessoas.

Um estudo do Grêmio mostra que 1,2 milhão deles fazem compras online, com um ticket médio de  R$ 347.

O tricolor gaúcho é o maior clube a aderir ao modelo da S4Fan, que já havia fechado acordos similares com o Náutico de Recife e o Juventude, de Caxias do Sul, agremiações de menor porte, atualmente disputando as séries B e C do campeonato brasileiro.

A S4Fans começou fechando acordo com sites de humor como o os portais Ah Negão!, Irmãos Piologo e Le Ninja (apesar de desconhecidos do internauta mais sério, eles movimentam muitos acessos: só o primeiro tem 19 milhões de visualizações mensais).

Daqui para frente, no entanto, a aposta deve ser por clubes de futebol. “Os clubes estão acostumados com o modelo de licenciamento e possuem interesse por gerar novas fontes de renda”, explica Totti, adiantando que um novo contrato do tipo deve ser fechado nos próximos 30 dias.

A aposta da S4Fan é que a paixão clubística pode ser uma vantagem na competição contra buscadores estabelecidos, dos quais o maior é sem dúvida o Buscapé, um gigante com faturamento estimado na faixa dos R$ 300 milhões.

É uma tese a ser comprovada. Mas é sabido que o consumidor não reproduz online sua atuação no meio físico.

O consumidor gaúcho, em tese um comprador que dá preferência para redes locais de varejo, deixa o bairrismo de lado na Internet, por exemplo.

Um estudo de 2012 feito pela WBI Brasil, em parceria com a Serasa Experian, mostrou que dos 10 e-commerces mais acessados pelos gaúchos, apenas dois eram de redes locais.

De qualquer maneira, a S4Fan não precisa vencer a competição com o Buscapé, apenas roubar uma parte do bolo das buscas no e-commerce, um bolo que não para de crescer.

Segundo o último relatório WebShoppers apresentado pela E-Bit, as vendas no comércio eletrônico brasileiro em 2014 atingiram R$ 35,8 bilhões, uma alta de 24% frente ao ano anterior.