Eduardo López.

Eduardo López, ex-VP de Enterprise Architect e Solutions da Oracle, acaba ser contratado para o cargo de head de Vendas do Google Cloud para a América Latina.

Com a contratação do executivo, o Google está criando uma nova estrutura própria para América Latina, que até agora estava junto com Estados Unidos e Canadá, dois mercados muito mais importantes, dentro de uma divisão focada nas Américas.

López é argentino, mas fez carreira na Oracle por quase 20 anos em uma série de cargos na área de vendas baseados no Brasil.

O executivo se reportará para Rob Enslin, um executivo de carreira da SAP contratado ainda em abril. Enslin era responsável pela divisão de nuvem da multinacional alemã e agora é presidente na Google Cloud.

"Acredito realmente que os produtos do Google Cloud e os Googlers criarão a plataforma de negócios do futuro e espero moldar a melhor proposta de valor para nossos clientes ", afirma López.

No final de 2018, o Google divulgou que o número total de clientes do Google Cloud no Brasil aumentou um pouco mais de quatro vezes (330%) enquanto o número de revendas aumentou cinco vezes.

É provável que a multiplicação de clientes e parceiros tenha sido tão acelerada porque a base inicial era baixa, mas de todas formas, ela mostra o momento do Google nesse mercado.

Em 2017, o Google lançou uma região do seu cloud para América Latina, baseada em São Paulo. O Brasil também foi o primeiro país a permitir o pagamento em moeda local.

O Google está contratando executivos em peso no mercado. Enslin é da SAP, mas as contratações mais chamativas até agora vieram da Oracle, incluindo o CEO do Google Cloud, Thomas Kurian, um profissional com 20 anos de casa que liderava toda a oferta de nuvem da Oracle.

Kurian se reportava diretamente para o fundador da Oracle, Larry Ellisson, de quem chegou a ser apontado como potencial sucessor.

A Oracle não decola em cloud, Kurian se desentendeu com Elisson e saiu. Meses depois, Amit Zavery, VP de Oracle Cloud Platform (PaaS), Middleware, Analytics e Java da Oracle, foi contratado pelo Google para assumir o cargo de VP de Engenharia.

Numa entrevista ao Wall Street Journal, Kurian disse mais ou menos com todas as letras que vai  usar as estratégias do manual da Oracle para emplacar um novo posicionamento da gigante de buscas no mercado de computação em nuvem.

Parte do plano é contratar equipe. Hoje, segundo disse Kurian ao Wall Street Journal, os times de venda do Google Cloud são um décimo das equipes trabalhando com AWS e Azure. Ele quer chegar a pelo menos a metade.

É muita gente, mas Kurian citou sua experiência de contratar 4 mil pessoas em um ano para o time de vendas da Oracle.

Outra parte do plano de Kurian é criar tecnologias que permitam aos desenvolvedores criar aplicações que rodem na nuvem do Google, mas também na da AWS e Microsoft, que no momento são líderes disparados de mercado.

Kurian disse que o plano em termos de tecnologia é similar ao que a Oracle fez com o Java, uma linguagem de programação que se tornou um standard de mercado.

Além disso, o novo CEO do Google Cloud quer que a empresa crie produtos específicos por indústria, focando em verticais como saúde, varejo, finanças ou indústria automotiva (vale lembrar que a AWS fechou um mega contrato com a Volkswagen recentemente).

No meio tempo, a imprensa americana relata que Elisson, com 74 anos, decidiu botar a mão na massa no assunto cloud na Oracle, indo para a sede da empresa três vezes por semana.