César Leite.

A Processor, companhia de Porto Alegre que é um dos maiores parceiros da Microsoft no país, está em meio a uma virada destinada a transformar a empresa em um fornecedor de serviços baseados em cloud computing.

No ano passado, 25% do faturamento da Processor já vem da oferta cloud . Entre as novas vendas, a cifra chega a 50%. Em dois anos, a companhia pretende ter mais da metade das receitas oriundas do novo modelo.

O novo posicionamento da Processor não se trata apenas de oferecer as versões cloud dos produtos da companhias das quais é parceira. 

Lançado no começo do ano, o Live Cloud é uma plataforma que oferece processamento, armazenamento e as diferentes soluções com gestão e monitoria da Processor, cobrada de acordo com o uso dos clientes.

“Os clientes vão querer cada vez mais consumir e não comprar TI”, explica César Leite, CEO da Processor. 

A nova abordagem de mercado é menos centrada em produtos. De acordo com Leite, a Processor pretende ser “agnóstica” sobre onde as aplicações rodam, fazendo uso tanto na nuvem Azure da Microsoft como do AWS da Amazon.

A Processor é um player de porte com produtos Microsoft de Office 365, BI, ERP, portais e outros, o que deve permanecer. Na área de segurança, a companhia é uma grande parceira da Symantec, mas Leite destaca que há interesse nas ofertas de players emergentes nesse mercado.

Além de acompanhar das tendências tecnológicas, a aposta agressiva da Processor na nuvem – a empresa inclusive colocou o termo The Cloud Company, na logomarca da empresa – é também comercialmente atraente em um momento em que os clientes estão apertando os cintos.

“O valor total gasto com TI das empresas vai cair, mas a nossa intenção é que a fatia da Processor aumente”, projeta Leite.

A companhia fundada pelo empresário gaúcho está em alta. Recentemente, mudou-se para uma nova sede em Porto Alegre, ocupando um terreno de 4,7 mil m2 no avenida Severo Dullius, nas proximidades do aeroporto Salgado Filho.

A empresa tem ainda filiais em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Londrina, Blumenau e Belo Horizonte, além de uma unidade em unidade em Santiago, no Chile, e escritórios comerciais Bogotá, Miami e Buenos Aires.

Nesta semana, a companhia foi apontada como uma das 100 parceiros da Microsoft mais promissores pela revista CIO Review (a Processor é a única latino americana da lista, composta na sua maioria de empresas americanas) além de ter sido eleita pela MS como a melhor parceira de Mobilidade na América Latina.