Analisar o grande número de informações é o desafio, diz pesquisa. Foto: divulgação.

Uma pesquisa divulgada pela Teradata pesquisou em meio a 274 empresários europeus revelou que os executivos acreditam que o fluxo de altas cargas de dados - o chamado Big Data - e o aproveitamento otimizado destas informações podem ser uma grande oportunidade para lucrar.

Segundo a pesquisa, realizada pelo Business Application Research Center, a pedido da Teradata, 75% das empresas apontam a necessidade da análise do big data para identificar oportunidades de negócio.

Segundo números do Gartner, o Big Data representará U$ 3,7 trilhões de gastos em 2013 e criará 4,4 milhões de empregos até 2015 em todo o mundo.

No entanto, para os executivos, a insuficiência técnica e analítica de know-how é o desafio mais iminente quando se começa a utilizar big data. 72% apontam a necessidade de ter mais controle sobre os dados de suas organizações.

Além disso, 66% dos participantes percebem o valor do chamado dados multiestruturados, coletados a partir de mídias sociais, sensores que medem audiência e blogs. Apenas 7% não viram necessidade de realizar ações para grande volume de dados.

De acordo com o levantamento, as companhias europeias não só identificaram as complexidades, como também estão dispostas a investir substancialmente em tecnologias para realizar análises mais profundas.

Foi constatado que a maior parte do orçamento destinado para big data é empregado em software, seguido por hardware e consultoria.

As empresas que disseram utilizar os seus dados de forma mais eficiente não estavam entre as que empregavam mais investimentos em comparação à sua concorrência.  As “atrasadas” planejam fazer investimentos acima da média.

FREQUÊNCIA

Hoje, 27% das informações são atualizadas para reporte, monitoramento e análise uma vez por mês, 45% são atualizadas diariamente. Entretanto, somente 4% podem ser analisadas próximas ao tempo real (disponíveis em menos de 5 segundos).

No futuro, as empresas questionadas pretendem integrar 17% das suas informações em menos de um minuto – cerca de 8% por dia.

“O levantamento mostra que além do 'hype' atual, o big data já se tornou uma realidade atual no data-driven das empresas", diz Andreas Geissler, country manager da Teradata para a Alemanha.