Operações internacionais da companhia estão suspensas. Foto: divulgação.

A Gol, maior empresa aérea doméstica do Brasil, vai reduzir sua operação nacional em cerca de 92%, oferecendo apenas 50 voos diários em resposta à menor demanda durante a pandemia do coronavírus. 

Segundo a companhia, a determinação vale para o período de 28 de março a 3 de maio, mas a readequação deve ser mantida “enquanto os brasileiros adotarem um comportamento responsável de isolamento social e evitar viagens”.

Durante este período de restrição, as viagens da Gol vão conectar o aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, com as outras 26 capitais brasileiras.

O serviço de traslado entre os aeroportos de Congonhas, também em São Paulo, e Guarulhos está interrompido por tempo indeterminado.

No caso das operações internacionais regulares da empresa, a suspensão será de 100%. 

“Provendo esse serviço essencial, a companhia será capaz de transportar itens vitais como medicamentos e órgãos, assim como aqueles clientes que necessitam viajar”, afirmou a Gol em nota.

De acordo com a empresa aérea, a oferta de serviços será ajustada conforme a demanda específica das capitais, com voos extras de acordo com a necessidade para destinos regionais e internacionais.

A Gol também garante que flexibilizará o tempo limite das conexões, assegurando a interligação entre capitais em até 24 horas.

Os clientes que tiverem voos reservados até 30 de setembro têm a opção de alterar suas viagens sem nenhuma cobrança de taxa, preferencialmente utilizando os canais digitais para evitar ambientes públicos.

Como medida de segurança, o serviço do bordo dos voos está interrompido. A partir do dia 1º de abril, a companhia vai oferecer água em copo individual.

Todas as salas VIP da empresa também estarão fechadas pelo menos até 30 de abril.

Para os profissionais da saúde envolvidos no combate ao Covid-19, a Gol está oferecendo  isenção de tarifa.

Normalmente, a Gol oferece mais de 750 voos diários para mais de 100 destinos no Brasil, América do Sul, Caribe e Estados Unidos.

São mais de 37 milhões de passageiros anualmente, além do negócio de logística e transporte de cargas, que atende mais de 3,4 mil municípios brasileiros e chega a mais que 200 destinos internacionais em 95 países. 

Com sede em São Paulo, a companhia tem uma equipe de aproximadamente 16 mil profissionais e opera uma frota de 137 aeronaves Boeing 737.

As ações da empresa são negociadas na B3 e na NYSE.