Projeto Tango lançou um protótipo de smartphone em fevereiro. Foto: flickr.com/photos/manfrys.

O Google está desenvolvendo um novo tablet de a partir de seus experimentos em capacidades de visão avançadas para dispositivos móveis. 

A empresa planeja produzir cerca de 4 mil protótipos a partir do próximo mês, de acordo com fontes da empresa contatadas pelo Wall Street Journal

O aparelho viria com uma tela de 7 polegadas e deve ser equipado com duas câmeras traseiras, sensores de profundidade infravermelho e software avançado que pode capturar imagens tridimensionais precisas de objetos.

Segundo a fonte do site americano, o tablet está sendo desenvolvido como parte de um esforço de pesquisa Google apelidado de Projeto Tango.  O produto pode ser liberado antes da conferência anual de desenvolvedores da companhia prevista para o final de junho.

O Projeto Tango lançou um protótipo de smartphone em fevereiro, que é igualmente repleto de sensores e projetado para criar uma espécie de mapa tridimensional do ambiente de seu usuário. 

A tecnologia demonstrada no smartphone poderia ser usada para melhorar a navegação interior para os portadores de deficiência visual, com direções passo-a-passo dentro de lojas, assim como para videogames mais imersivos.

Para o Wall Street Journal, o rival Facebook também está saltando na direção da tecnologia avançada de visão computacional com a aquisição planejada de Oculus VR.

Essas tecnologias estão muito à frente dos dispalys 3D comuns, que já existem há anos, disse Rajeev Chand, chefe de pesquisa da Rutberg & Co, banco de investimento focado nas indústrias wireless e de mídia digital.

Tal como aconteceu com o smartphone lançado em fevereiro , o Google inicialmente planeja construir uma pequena quantidade dos novos tablets que fornecerá aos desenvolvedores.

"É fundamental abrir a nova tecnologia para desenvolvedores primeiro, pois essa é a chave para traduzir a tecnologia em aplicações práticas", disse Bryan Ma, analista da empresa de pesquisa IDC, ao Wall Street Journal.

Na verdade, o desafio para os novos dispositivos do Google pode ser inventar funções que sejam úteis para os consumidores.

"A tecnologia está à frente das aplicações", afirmou Chand. 

Mesmo assim, o chefe de pesquisa disse estar otimista de que a tecnlogia “vai pegar” pelos avanços no processamento de imagem e por empresas como Google e Facebook estarem investindo nela.