Fundadores da startup Jonathan Assayag e Naomi Arruda querem inovar. Foto: divulgação

Tamanho da fonte: -A+A

A Lema21 quer inovar o segmentado mercado de óticas com um serviço que diz ser exclusivo. A startup entrega óculos na casa do comprador.

A opção Prove em Casa propõe que o consumidor receba quatro amostras de armações (de óculos de grau ou de sol) para escolher a que melhor se adapte ao seu rosto. Em quatro dias, o cliente deve experimentar os óculos e optar pela compra de um modelo ou devolver o kit.

Idealizada pelos sócios Jonathan Assayag e Naomi Arruda, a empresa quer vender de 12 mil unidades neste ano. A Abióptica estima que o mercado movimente R$ 19 bilhões.

Assayag tem MBA na Harvard Business School, foi Product Manager na Zinch.com, startup do Vale do Silício, e chegou a abrir sua própria empresa em Boston, nos 19 anos que morou nos Estados Unidos.

Já Naomi viveu 10 anos em Nova York, onde atuou com desenvolvimento de produto como gerente de marketing da LVMH, holding especializada em artigos de luxo, de marcas como Louis Vuitton e Kenzo.

Com esse repertório de experiências, a dupla resolveu iniciar um novo negócio no Brasil e enxergou no setor óptico uma oportunidade. “Acreditamos que é um mercado segmentado, com muitas empresas de família, e tem uma necessidade pouco atendida no país: a inovação”, afirma  Assayag.

No exterior, eles observaram um movimento “disruptivo no varejo”, no qual novas marcas online excluem os intermediários para oferecer produto final considerado de qualidade, com preços mais acessíveis. A ideia é copiar este modelo.

Os produtos são desenvolvidos na Ásia, mas projetados na sede em São Paulo. “Não temos ainda uma projeção de faturamento. Colocamos dinheiro do nosso próprio bolso, mas também contamos com a ajuda de grandes investidores-anjo que têm experiência na área”, explica.

De acordo com os empresários, as armações têm a mesma qualidade que um produto de R$ 900 e são  produzidas pelas mesmas fábricas que atendem grandes marcas internacionais. Os óculos têm o preço único de R$267, incluindo aqueles que são com lentes orgânicas com tratamento antirrisco e antirreflexo - o preço é cerca de R$ 200 abaixo da média de mercado.

Quando o usuário encomenda o kit, deve enviar a receita da lente (no caso do óculos de grau) e paga pelo voucher. Se não quiser ficar com nenhum produto o valor é devolvido com o desconto de R$ 30, que, conforme os fundadores, é calculado pelos gastos que a pessoa acumularia ao visitar lojas físicas.

E se o cliente quebrar os produtos ou devolvê-los danificados? “Toda startup precisa aceitar os riscos da inovação. Mas nunca tivemos problemas deste tipo. 90% dos clientes ficam com um produto”, conta o empreendedor.

Para alcançar um grande público, a startup utiliza as redes sociais e investe em conteúdo. “Queremos agregar mostrando histórias de vida e também falando de moda”, conta o co-fundador. Recententemente, na campanha “Expresse Seu Lema”, a empresa usa como garota propaganda figuras como Bel Pesce.

OUTRAS INICIATIVAS
A marca também oferece o serviço de Espelho Virtual, uma ferramenta que permite inserir em uma foto de rosto a imagem do óculos desejado.

Outra proposta é o Compre 1 e doe 1. Para cada óculos comprado na Lema21, o valor é revertido para pessoas com deficiência visual em parceria com a Associação Laramara de Assistência ao Deficiente Visual.