Marco Righetti. Foto: Baguete.

Em uma investida para aumentar sua participação em mercados além do eixo Rio-São Paulo, onde está a maior parcela de clientes, a Oracle está apostando em novas ações para se aproximar de clientes e canais. Uma destas ações foi pegar a estrada.

Começando por Porto Alegre, a filial brasileira da multinacional iniciou uma serie de roadshows, o "Tech Talks On The Road", com o plano de aumentar o conhecimento do ecossistema de clientes e parceiros para o conceito de transformação digital e o portfólio da empresa.

Depois de Porto Alegre, em março a empresa passará por Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Fortaleza, Recife e Brasília com o evento.

De acordo com Marco Righetti, diretor de Arquitetura de Tecnologia da Oracle Brasil, o roadshow é primordialmente um esforço para informar e conscientizar público e parceiros, mas também deve apresentar resultados práticos nos negócios locais. Entretanto, a empresa não divulga dados de metas.

Atualmente, a multinacional possui no Brasil uma rede composta por aproximadamente 700 canais.

Para Righetti, a criação destes eventos faz parte de uma nova postura da companhia para reforçar seu posto em regiões como o Sul, e entrar em mercados onde a empresa ainda não tem muita presença, como é o nordeste.

"Queremos crescer nossa base de canais nestas regiões, principalmente no Nordeste, onde percebemos grandes oportunidades de negócio para novos clientes e canais, mas ainda não temos um escritório comercial. Investimos bastante desde o ano passado nesta região", explica Righetti.

No Sul, a empresa fez movimentações no ano passada para reforçar seu time local, contratanto Karen Scur, ex-gerente de contas da SAP para a região e Juliano Korff, ex-diretor de Grandes Contas do Rio Grande do Sul e Santa Catarina da SAP.

Outro ponto citado por Righetti é o de conhecer melhor os clientes e suas demandas de tecnologia, que variam nas regiões. Para o executivo, o fato da Oracle ter investido em um portfólio extenso nos últimos anos ajuda na versatilidade da empresa, mas é preciso fazer adequações.

"Cada mercado tem suas peculiaridades e precisamos conhecer as necessidades dos clientes e trabalhar diferentes expertises com os canais. No centro-oeste, por exemplo, estamos trabalhando as soluções para agro-negócio junto aos parceiros, que é uma demanda em alta", explica.

Quanto às verticais, Righetti aponta também o varejo como um dos principais prospectos na adoção de TI e soluções cloud - novo carro-chefe do portfólio da empresa norte-americana - para para otimizar suas operações.

A Oracle não divulga resultados regionais, mas o foco em expandir sua cobertura e oferta de cloud e transformação digital acompanha um movimento generalizado da multinacional em cobrir diversas bases com sua oferta.

O reforço do foco em cloud vem no rastro de uma queda no cenário de vendas de software, que caiu 17% no último trimestre do ano fiscal 2015 em comparação ao mesmo período no ano anterior. Por outro lado, no mesmo período a receita com serviços em nuvem aumentou 29%.