SAP quer sair do eixo Rio - São Paulo. Foto: Jcomp / Shutterstock

A SAP nomeou Luiz Bovi, ex-executivo de projetos especiais da IBM, para assumir o cargo de  vice-presidente para Geografias, encarregado de fomentar os negócios da companhia fora do eixo Rio-São Paulo.

O executivo, um profissional de carreira da IBM, onde estava desde 2002, substitui Ricardo Medina, recentemente nomeado  vice-presidente de vendas para a rede de parceiros globais da empresa após pouco mais de nove meses no cargo de VP de Geografias do Brasil. 

“Vamos intensificar ainda mais a atuação da SAP fora do eixo Rio - São Paulo para estarmos mais próximos dos clientes nessas regiões e, dessa forma, cobrirmos mercados com importância estratégica para a SAP”, diz Bovi.

Caberá a Bovi a missão de manter a SAP acelerada nas regiões do país. Em julho do ano passado, na última divulgação regionalizada de índices de crescimento (a SAP não abre valores para o Brasil), a multinacional revelou ter crescido 277% na região Sul, só atrás do Centro-Oeste, onde a alta passou de 1000%.

Os resultados foram atribuídos à decisão de criar diretorias específicas destinadas a fomentar vendas no  Centro-Oeste e Nordeste, Interior de São Paulo e no Sul, sob a supervisão do VP de Geografias.

Desde então, a coisa parece ter desacelerado, pelo menos na operação brasileira como um todo. Nos últimos dois trimestres, a SAP vem escondendo o jogo, não revelando mais uma cifra de crescimento e revelando apenas dados das indústrias nas quais tem base menor, e, por tanto, melhor desempenho percentual de crescimento.

Ao mesmo tempo, a empresa vem agitando as operações regionais. Antes da troca no comando das geografias, já havia feito uma contratação no atacado para a gerência de Minas Gerais, tirando sete profissionais de concorrentes como IBM, Microsoft, Oracle e EMC.