Os alunos de Engenharia de Software irão a atuar na agência experimental. Foto: Gilson Oliveira/ASCOM-PUCRS.

A partir do próximo semestre, os alunos do curso de graduação em Engenharia de Software da PUC-RS passarão a atuar na Agência Experimental de Engenharia de Software.

Durante quatro disciplinas ao longo da graduação, os alunos passarão pelo ambiente, atuando em diferentes papéis em projetos de desenvolvimento de software.

A primeira turma do curso ingressou no primeiro semestre de 2015 e tem 60 estudantes. O início da agência será composto por esses alunos, que estarão no 2º semestre e atuarão como programadores.

Ao longo do tempo, outras funções serão feitas pelos estudantes. Alunos do 4º semestre serão analistas, enquanto os do 6º serão responsáveis pela arquitetura. Os estudantes do 7º semestre irão gerenciar as equipes.

Além dos alunos e professores, a Faculdade de Informática contratará profissionais para atuar em conjunto com os estudantes em todas as etapas dos projetos. Por enquanto, as funções mais avançadas serão feitas por eles, já que o curso tem somente uma turma.

Segundo Marcelo Yamaguti, coordenador do curso, o ambiente prático de aprendizagem tem a finalidade de propiciar aos alunos o exercício de situações reais de projetos, viabilizar a integração interdisciplinar dos conteúdos e permitir contato com organizações e empresas.

“No primeiro momento iremos realizar projetos internos para unidades da universidade, mas depois serão feitas parcerias com empresas”, revela.

Para os acordos, a Faculdade de Informática conta com uma relação próxima com o Tecnopuc. O parque tecnológico abriga empresas multinacionais, como Dell e HP; companhias brasileiras como Globo.com e Stefanini; e empresas gaúchas, como DBServer.

Um dos projetos desenvolvidos em parceria foi o software Kaizen, feito entre o Centro de Inovação Microsoft da PUC-RS, a Faculdade de Informática e as empresas ThoughtWorks e DBServer, em 2013. 

Financiado com recursos de R$ 120 mil do CNPq, o Kaizen é usado em um laboratório dentro do Tecnopuc no qual equipes desenvolvem projetos baseados em conceitos ágeis.

“Quando iniciamos a estruturar o curso de engenharia de software, contamos com opiniões de executivos de empresas de TI, e a ideia de proporcionar momentos que simulam o dia a dia do mercado foi trabalhada desde o início”, relata Yamaguti.

No vestibular de inverno da PUC-RS será aprovada a segunda leva de alunos do curso.

Segundo Yamaguti, o profissional formado pela graduação terá como principal diferencial o foco no processo de desenvolvimento de software aplicado e será capaz de utilizar processos, métodos e ferramentas de TI para produzir softwares de maneira sistemática e eficaz. 

Além do bacharelado em Engenharia de Software, a Faculdade de Informática da PUC-RS oferece mais três cursos na área: Ciência da Computação (nota 4 na avaliação do MEC), Sistemas de Informação (nota 5) e Engenharia de Computação (nota 4). 

Existe outro curso na área de TI, o bacheralado em Administração com formação em gestão de TI, vinculado à Faculdade de Administração, Contabilidade e Economia. Ao todo, a PUC-RS tem cerca de 30 mil alunos e oferece 51 cursos de graduação.

No Brasil, segundo o site e-MEC, 22 universidades já contam com a formação em Engenharia de Software.