Mais de 39 mil escolas serão beneficiadas na Tailândia. Foto: flickr.com/photos/nire_d

A Tailândia e a Microsoft assinaram um acordo que irá fornecer aos 8 milhões de estudantes e 400 mil professores do país acesso gratuito ao Microsoft Office 365 para educação. 

O acordo, que também inclui a extensão da iniciativa Parceiros na Aprendizagem até 2019, representa a maior implantação de serviços de nuvem da Microsoft no setor da educação já feita.

"O Plano de Desenvolvimento Econômico e Social afirma que a principal prioridade da Tailândia é desenvolver seus recursos humanos, através da melhoria na educação. O apoio da Microsoft irá garantir que os educadores e os alunos são capacitados com soluções e plataformas que estão alinhados com suas necessidades”, afirmou o consultor senior de tecnologia para ensino e aprendizagem, Anek Ratpiyapaporn.

Concebido em 2003, o Parceiros na Aprendizagem é um programa global da Microsoft que promove o uso da tecnologia na educação para ajudar alunos e professores ao redor do mundo a maximizarem seu potencial. 

Até agora, o programa já capacitou mais de 12 milhões de educadores e melhorou a experiência de aprendizagem para 200 milhões de alunos em 119 países. 

Na Tailândia, o Parceiros na Aprendizagem alcançou mais de 164 mil professores nas mais de 39 mil escolas do país.

"A Microsoft sempre viu a tecnologia como um facilitador importante da educação de qualidade, e este acordo reforça nosso compromisso de longo prazo com a Tailândia e nossa visão de transformação holística para o sistema de ensino do país”, destacou Haresh Khoobchandani, diretor da Microsoft na Tailândia.

Ele ainda afirmou que durante os 20 anos da Microsoft na Tailândia, foram investidos US$ 5,2 milhões em educação.

No último relatório do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, na sigla em inglês), divulgado em 2012, a Tailândia superou o Brasil nas três principais categorias avaliadas.

O programa é uma iniciativa internacional de avaliação aplicada a estudantes na faixa dos 15 anos, idade em que se pressupõe o término da escolaridade básica obrigatória na maioria dos países.

Na categoria matemática, o Brasil alcançou 391 pontos, enquanto a Tailândia chegou a 497. A pontuação mais alta foi a da China, que marcou 613 pontos. A mais baixa, de 368 pontos, é a do Peru.

Em “leitura” o Brasil conseguiu a pontuação de 410, e a Tailândia alcançou 441. A média geral do ranking foi de 498 pontos.

Já na categoria ciência, enquanto a Tailândia atingiu 444 pontos, o Brasil chegou a apenas 405.