Daniel Costa, head de Marketing da BWG.

O BWG, um grupo especializado em soluções para recursos humanos e comunicação, acaba de lançar o 4bee Flix, um serviço que oferece campanhas de endomarketing feitas por freelancers.

A plataforma disponibiliza campanhas com custos entre R$ 349 até R$ 999, feitas por profissionais espalhados pelo país. A 4bee Flix intermedia o contato com os profissionais, que permanecem anônimos.

A empresa justifica a medida como uma “proteção da liberdade criativa”, mas a verdade é que ela também evita que a 4bee Flix seja bypassada tanto pelos clientes finais como pelos freelancers, que dessa forma não podem estabelecer uma negociação direta.

A 4bee Flix não abre a quantidade de freelancers atualmente cadastrados, apenas que eles estão espalhados por Santa Catarina, Porto Alegre, São Paulo e Minas Gerais. 

Seja como for, a 4bee Flix mira em um mercado com potencial. A empresa fez uma pesquisa com mais de 100 empresas, entre elas Oracle, Pepsico, Nextel, Eletropaulo e Energisa, e descobriu que em médias essas organizações gastam R$ 51 mil em campanhas internas de endomarketing.  

Ainda de acordo com essa pesquisa, mais de 60% desse valor é gasto com campanhas de datas comemorativas ou temas genéricos de baixa complexidade, como sustentabilidade, segurança e diversidade. A metade das pesquisas espera mais de 4 dias úteis para ter a campanha finalizada.

Muito dinheiro investido e muita espera pela entrega de um trabalho potencialmente terceirizável, por tanto. 

“As necessidades dos clientes mudaram e a forma como construímos produtos também está em transformação, por isso apostamos nesse novo modelo de negócio, no qual atuamos como um ‘braço direito’ da comunicação corporativa das empresas”, afirma Daniel Costa, head de Marketing da BWG.

Costa é um executivo experiente no assunto endomarketing. Ele foi um dos fundadores da Santo de Casa, uma agência gaúcha que é uma referência nacional no assunto, além de autor dos livros Endomarketing Inteligente (2010) e Não existe gestão sem comunicação (2014).  

O profissional deixou a Santo de Casa depois de quase uma década em 2016 e foi contratado pela BWG em 2017.

Sediada em São Paulo, A BWG tem um portfólio mais amplo, que inclui software de gestão do conhecimento, folha de pagamento e performance. A lista de clientes inclui nomes como HBO, Votorantim, Thyssenkrupp, Engie, Corinthians, Unimed e Sebrae.