Que tal um corte de cabelo? Foto: flickr.com/photos/universbeeld

Um estudo da IBM comparou as opiniões de CEOs e estudantes quando o assunto é mídia social.

O resultado não surpreenderá pais que já viram filhos trocando mensagens pelo Facebook estando no mesmo quarto, mas vale mesmo assim pela extensão da mostra: 3,4 mil estudantes dos cursos de graduação e pós-graduação de diversos países, incluindo o Brasil.

O estudo aponta que 70% dos alunos acreditam que as organizações deveriam usar websites e mídias sociais para se comunicar com o cliente, enquanto entre os CEOs esta é a opinião de apenas 56% dos entrevistados.

A expectativa de ambos é que a interação presencial com o consumidor migre cada vez mais para o virtual e as mídias tradicionais cedam espaço para as mídias sociais e websites.

Hoje, 80% dos CEOs enxergam o “face-to-face” como a principal forma de relacionamento com o cliente. Entre os estudantes, 58% concordam com isso.

Contudo, no que se refere à importância das mídias sociais nessa aproximação, o cenário é praticamente inverso: 70% dos alunos e 56% dos executivos a reconhecem como a ferramenta mais relevante no contato com o cliente.

“Os executivos veem a tecnologia mais como um condutor de eficiência, enquanto os estudantes já a enxergam como um ativador de colaboração e relacionamentos”, diz Isabela Martins, líder de consultoria da IBM Brasil para o segmento de CRM.
 
Outra grande diferença entre a visão dos estudantes e dos executivos está relacionada ao equilíbrio da vida profissional e pessoal. Entre os alunos essa preocupação ficou em segundo lugar com 54%, ao lado de capacidade de inovar, dentre os 13 atributos desejados no local de trabalho. Para os CEOs o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional foi o sétimo citado, com somente 35%.