Se é Bayer, é bom. Foto: Divulgação Bayer.

A Bayer, gigante alemã do setor farmacêutico e químico, decidiu colocar boa parte da sua TI na mão de fornecedores de grande porte, assinando simultâneamente contratos de seis anos com Atos, Capgemini, Cognizant e TCS.

Com a medida, as companhias de tecnologia vão assumir 950 funcionários da TI da Bayer Só o contrato com a Capgemini é de mais de 1 bilhão de euros. 

A TI que ficou dentro da Bayer (a empresa não abriu quantos funcionários ficam) será organizada em times ágeis, ligados proximamente às áreas de negócio, aponta a empresa em nota.

A meta é “digitalizar toda a cadeia de valor”, desde P&D até vendas, passando por logística e vendas.

A Capgemini assumiu a evolução de sistemas de gestão como ERP e BI, além de uma iniciativa de transformação da infraestrutura de computação em nuvem da Bayer.

Não é de hoje que a Bayer vem colocando fichas na Capgemini: em 2012, a Bayer já havia transferido para Capgemini um centro de TI sediado em Mumbai, na Índia, na época com 550 funcionários, focado serviços para aplicações e infraestrutura de TI.

Fora a Capgemini, a Atos atenderá os escritórios com serviços e segurança; a Cognizant e TCS serão responsável pelas soluções de TI das áreas de pesquisa e desenvolvimento, suprimento de produtos e marketing e vendas (nessa última, cada uma em uma divisão diferente).

A TCS ainda leva “funções corporativas” e a área de recursos humanos.

“A saída de tantos funcionários não é fácil. Mas com a mudança vem oportunidades e estamos convencidos que os nossos colegas da TI terão boas possibilidades nos fornecedores. As atividades não terão continuidade dentro da Bayer”, afirma Daniel Hartert, CIO da Bayer. 

Hartert está na Bayer a mais de uma década, liderando área de TI e uma empresa paralela focada em oferecer serviços compartilhados.