As operadoras atendidas pelo cabo submarino da Sparkle tiveram o sinal prejudicado no Brasil. Foto: Pixabay.

O furacão Maria, de categoria 4, que atingiu diversas regiões da América Central, incluindo Porto Rico e várias ilhas caribenhas com ventos de até 200 km/h, gerou efeitos nas telecomunicações no Brasil.

As operadoras atendidas pelo cabo submarino da Sparkle, que conecta o Brasil aos Estados Unidos, passando pelo Caribe, tiveram o sinal prejudicado, acarretando instabilidade aos usuários. 

De acordo com a Seabone, que opera o cabo da Sparkle, a operadora teve de desligar equipamentos que fazem a transmissão de dados de internet via cabo. O desligamento ocorreu devido a inundações geradas pelo furacão, que, segundo a Seabone, poderiam gerar curtos e outros danos à estrutura. 

O cabo afetado conecta o Brasil com o resto do mundo, especialmente as Américas Central e do Norte, via Miami. 

“O desligamento dos equipamentos causa lentidão nos destinos internacionais e, com isso, clientes podem sofrer com instabilidade em diversos serviços na Internet ao longo de hoje, 21 de setembro, e dos próximos dias”, esclarece Luciano Franz, presidente da InternetSul, associação dos provedores de Internet do Sul do Brasil. 

No Brasil, alguns fóruns já registram reclamações de usuários em função do desligamento dos equipamentos do cabo. No portal Adrenaline, por exemplo, clientes da TIM enviaram comentários reclamando de lentidão e perda de sinal. “

A previsão para os próximos dias é que o Maria avance para novas ilhas caribenhas, com possibilidade de atingir também os EUA. As tempestades podem alcançar mais de 300 mm de chuva em algumas áreas, o que pode causar inundações repentinas e deslizamentos de terra.