Deloitte cresce em todas as regiões. Foto: Flickr.com/katheline_mtl/

A Deloitte Touche Tohmatsu Limited (DTTL) anuncia receitas agregadas das firmas afiliadas de US$ 31,3 bilhões para o ano fiscal encerrado em 31 de maio de 2012, representando a maior receita de todos os tempos da rede.

No ano, as receitas cresceram 8,6% em dólares americanos e 8,3% em moedas locais – o maior crescimento desde 2008.

Das filiadas, a divisão de assessoria financeira liderou o portfólio em termos de crescimento, com 15%, seguida por consultoria, que subiu 13,5%.

As receitas de Auditoria e Gestão de Riscos Empresariais (ERS - Enterprise Risk Services) cresceram 6%.

Já na área de tributação e jurídica, a Deloitte se expandiu 4%.

Por setor, o de mais rápido crescimento para a companhia no ano passado foi o de energia e recursos, com alta nas receitas de 24%.

No segmento de biologia e saúde, a alta foi de 13%. No de consumo e transporte, foi de 11%, e no de serviços financeiros, de 10%.

GEOGRAFIA
Por divisão geográfica, as receitas na Ásia e Pacífico cresceram 16,3%, o que fez da região a de crescimento mais rápido para a companhia pelo oitavo ano consecutivo.

A Deloitte Índia cresceu 19% em moeda local e metade das firmas afiliadas na região, incluindo a Deloitte China, teve crescimento de dois dígitos.

Nas Américas, as receitas cresceram 7,9%, sendo que as firmas afiliadas dos países da América Latina e Caribe cresceram 16,3%, enquanto a Deloitte Estados Unidos se expandiu 9,1%.

As receitas na Europa, Oriente Médio e África subiram 6,4%, com destaque para as filiadas da África, Noruega, Grécia e Luxemburgo, todas com alta de dois dígitos em moedas locais.

A Deloitte Reino Unido cresceu 11 por cento, em moeda local.

"Em um ambiente econômico desafiador, US$ 1,4 bilhão do crescimento agregado de US$ 2,5 bilhões da Deloitte no ano passado veio de firmas afiliadas em três das maiores economias do mundo", afirma o CEO global da DTTL, Barry Salzberg.

CONTRATAR E FORMAR
No ano fiscal de 2012, a rede DTTL contratou 51,4 mil profissionais, elevando a equipe global para
mais de 193 mil colaboradores, com meta de chegar a 250 mil até o ano fiscal de 2015.

A companhia também investiu na formação de lideranças, como exemplifica sua Universidade Deloitte, instituição avaliada em US$ 300 milhões e localizada nos EUA, de onde a empresa capacita gestores e pela qual passaram mais de 40 mil profissionais de 70 países só no ano passado.