Santa Catarina tem uma proposta sedutora para as empresas paulistas. Foto: bruce mars from Pexels

A Associação Catarinense de Tecnologia (Acate) pretende organizar junto com prefeitos de Santa Catarina um roadshow em São Paulo para tentar atrair empresas de tecnologia para o estado.

A revelação é do presidente da Acate, Daniel Leipnitz, que deu uma entrevista sobre o assunto para o Mobile Time.

“Estamos articulando ainda o roadshow em São Paulo, mas o foco é em companhias bilionárias. Vamos procurar Google, Microsoft, Totvs, Stefanini, etc”, disse Leipnitz.

Leipnitz reforçou que não existe a intenção de iniciar uma guerra fiscal, com oferta de subsídios ou outros benefícios para o setor. 

O principal atrativo a ser mostrado pela Acate é um projeto de lei aprovado no final de maio, com o qual Santa Catarina garante que não vai cobrar ICMS de software desenvolvido sob medida ou oferecido na nuvem como serviço.

A decisão do estado está na contramão de outras unidades da federação, incluindo São Paulo, que no momento está tentando emplacar uma alíquota de ICMS de 5%.

A questão é parte de um debate judicial que já rola desde os anos 90 e no momento está parado no Supremo Tribunal Federal.

Mais do que isentar de um imposto (ou no caso, de uma bitributação, já que o setor de tecnologia paga ISS aos municípios), Santa Catarina está oferecendo segurança de que nunca vai tentar cobrar ICMS.

A nova legislação foi escrita com cooperação da Acate, uma entidade de TI catarinense com atuação nacional.

A Acate não está chegando do nada em São Paulo. 

Já em 2017, a entidade abriu três sedes em São Paulo, localizados na  Berrini, Itaim Bibi e Vila Olímpia, dentro do CO.W Coworking Space. 

Os novos centros de empreendedorismo servirão aos empresários catarinenses como locais para reunião, alocação de equipes, instalação de filiais e realização de eventos.

A Acate representa o setor tecnológico de Santa Catarina, que tem faturamento estimado de R$ 11,4 bilhões e corresponde a aproximadamente 5% do PIB do estado. 

Santa Catarina conta com 2,9 mil empresas de tecnologia, com cerca de com 5,3 mil sócios empreendedores e mais de 47 mil funcionários.