Rafael Corteza guia o consumidor durante a compra. Foto: Divulgação.

A Netshoes está lançando a Sport Machine Powered By Netshoes, a primeira vending machine de camisas da Seleção Brasileira. 

A novidade está presente na cidade de São Paulo.

A Sport Machine foi desenvolvida para a venda de qualquer artigo esportivo, mas a camisa da Seleção Brasileira foi o produto escolhido para o lançamento das máquinas. 

Rafael Cortez, apresentador de TV, foi escolhido como embaixador do projeto. Por meio de uma interação por vídeo, eler conduz todo o processo de compra e passa detalhes técnicos da camisa. 

Se o cliente desejar ouvir todas as explicações de navegação, feitas com humor pelo apresentador, o tempo médio de duração da compra é de 5 minutos. 

A máquina também está adaptada para deficientes auditivos. 

“Investimos em uma experiência similar à da loja virtual da Netshoes, permitindo que o cliente tenha uma visão do produto em alta resolução e possa girá-lo em 360° por meio de tela touch screen”, explica Tubino.

As camisas vem num cilindro especial com o logo da campanha da Netshoes “Brasil, viva o futebol como nunca”. 

“O potencial de impacto é enorme, pois não é necessário ser esportista ou atleta de alta performance, basta ser um torcedor - e nem precisa ser brasileiro. Por esse motivo, também inserimos a língua inglesa na máquina”, diz o executivo.

Caso o cliente deseje trocar a camisa, é preciso contatar a Central de Relacionamento da Netshoes por telefone, chat ou e-mail. 

As Sport Machines serão colocadas, em esquema rotativo, em diversos pontos da cidade de São Paulo. Para o lançamento, as máquinas estão nas estações Consolação e Paraíso do Metrô, e nas universidades PUC e Mackenzie. 

Nos próximos dias, novas unidades serão instaladas em outros pontos da capital, que serão divulgados na Fan Page da Netshoes.

A camisa da seleção brasileira, fabricada pela Nike, está disponível nos tamanhos P, M, G e GG pelo valor de R$ 229,90.

A compra pode ser concluída por débito ou crédito parcelado em até 6x pelos cartões das bandeiras Visa, Mastercard, Diners e Amex.

O prejuízo da Netshoes atingiu R$ 71,8 milhões em 2013, um recuo de 23% sobre 2012. A receita operacional subiu 21%, para R$ 965,1 milhões, mas registrou um uma queda no percentual de crescimento do ano anterior, quando teve um aumento de vendas fixado em 65%. 

Em 2013, a Netshoes fechou com caixa em R$ 104 milhões, versus R$ 136 milhões em 2012.

A e-commerce de artigos esportivos anunciou no início de maio um novo aporte de capital, em uma transação que injetou R$ 400 milhões na companhia, o maior investimento já feito na história da empresa.