Marcello Thiemann e Renato Sisto da Seidor Brasil.

A Seidor, multinacional espanhola especializada em serviços e soluções SAP, fechou o ano passado com um faturamento de R$ 106 milhões no Brasil, um aumento de 20% em relação a 2017.

Os resultados da filial brasileira ficaram um pouco acima da operação global da empresa, que cresceu 15% no ano passado, para US$ 460 milhões. A companhia espera chegar em 2020 com uma receita na casa dos US$ 600 milhões.

"O balanço do ano é extremamente positivo. Conseguimos manter a nossa sequência, que já vem de dois ou três anos, de crescimento acelerado, independente da situação adversa que nosso país vivenciou em 2018", afirma Marcello Thiemann, diretor-geral da Seidor Brasil.

Ao longo do ano, a Seidor ampliou seu time em 50%, atingindo 450 colaboradores, incluindo as equipes de dois novos escritórios abertos em 2018: Porto Alegre e Vila Velha.

No mundo, a empresa tem 4,7 mil funcionários, espalhados por 30 países na Euopa, América Latina, Estados Unidos, Oriente Médio e África.

“Desde o início, quando tínhamos uma operação pequena, nós crescemos num ritmo vertiginoso, que ninguém no mundo acredita: quase 100% ao ano. Conseguimos duplicar nos últimos dois anos o negócio da Seidor no Brasil”, comemora Javier Navarro, CEO da Seidor no continente americano.

A empresa tem projetos em S/4, C/4H, Ariba e Successfactors e tem uma base importante de implementação do ERP para pequenas e médias Business One, totalizando mais de 200 entregas no país.

Na sua divulgação de resultados, a companhia bateu na tecla do B1, destacando a “consolidação como maior parceira SAP Business One” no Brasil, com três premiações concedidas pela gigante alemã no último SAP PKOM Meeting, realizado em fevereiro no SAP Labs, em São Leopoldo.