Carlos Cesar Almeida.

Carlos Cesar Almeida não é mais CIO da CMPC Celulose Rio Grandense.

A informação é de fontes de mercado e foi confirmada ao Baguete pela empresa por meio da sua assessoria de imprensa.

Almeida estava na CMPC desde janeiro de 2010.

O executivo é experiente no ramo da celulose, tendo sido também gerente de TI da Aracruz Celulose, no Espírito Santo.

Carlos Almeida foi também presidente do Grupo de Usuário de CIO – GU CIO-RS, um grupo que reúne os CIOs das maiores empresas instaladas no Rio Grande do Sul.

O executivo ingressou na companhia logo após os chilenos da CMPC comprarem a unidade em Guaíba da Aracruz Celulose, em 2009.

Foi o começo de um ciclo de investimentos, no qual a empresa colocou R$ 5 bilhões em recursos que permitiram quadruplicar a capacidade de produção.

O investimento passou também por TI, com uma série de projetos liderados por Almeida.

Eles incluem a reimplementação do sistema de gestão da SAP, feita em 2012, visando uma maior integração com a CMPC, além de uma migração para o G Suite do Google, em 2015 e um projeto de infraestrutura com tecnologia da Cisco, em 2016, para citar três iniciativas divulgadas pelo Baguete em seu momento.

Agora no entanto o momento é outro. Recentemente, a Zero Hora divulgou que teriam sido feitas 80 demissões na planta, que emprega 1 mil pessoas.

Na ocasião, a CMPC informou que estava fazendo os cortes depois de ter tido "um ano com produção estável" em 2018.