O número de ações na Justiça do Trabalho do Rio Grande do Sul cresceu 50% em cinco anos. Foto: Divulgação.

O número de ações na Justiça do Trabalho do Rio Grande do Sul cresceu 50% em cinco anos. Em 2015, foram quase 189 mil ações no primeiro grau, enquanto em 2010 foram menos de 126 mil.

Segundo o blog Acerto de Contas, o motivo principal para o crescimento é a crise econômica. Considerando só os dois primeiros meses de 2016, o aumento supera 17%.

“A alta é reflexo do aumento das demissões no mercado de trabalho. Isso porque a ação só é ajuizada após o fim da relação de emprego, em geral. Terceirização e até quarteirização têm sido frequentes”, afirma a presidente do Tribunal Regional do Trabalho, Beatriz Renck, segundo o blog.

Com os cortes de orçamento que afetam a Justiça do Trabalho e outros órgãos, o atendimento ao público sofreu alterações. Agora,, algumas medidas estão sendo tomadas para atender ao forte aumento da demanda por trabalhadores. 

Entre elas, há um projeto para dar atenção especial a grandes empresas que sofrem alto número de ações, solucionando os processos de forma agrupada.

No ano passado, as decisões da Justiça do Trabalho gaúcha alcançaram R$ 1,77 bilhão. 

O tempo médio para o julgamento de um processo no primeiro grau foi de 273 dias no rito ordinário. No rito sumaríssimo (de até 40 salários mínimos), foram 121 dias. Já recursos na segunda instância levaram, em média, 103 dias para serem apreciados.