Deezer levanta aporte para ganhar mercado. Foto: Shutterstock.

O Deezer, multinacional francesa de serviço de streaming de música, anunciou nesta quarta-feira, 20, que recebeu um aporte de € 100 milhões para impulsionar novas assinaturas e ações de marketing para manter-se viva no mercado.

Segundo destaca o Business Insider, o aporte recebido pelo Deezer foi repassado pelo fundo Access Industries e pelo grupo de telecomunicações Orange.

Uma das primeiras companhias a ganhar proeminência com música online via assinatura, a empresa usará o aporte para concorrer com o Spotify e Apple Music, as duas plataformas mais populares no momento.

Com a maior parte de seus assinantes na Europa, a empresa fechou 2015 com cerca de 6,3 milhões de assinantes. Em comparação, o Spotify já conta com mais de 20 milhões de pagantes, enquanto a Apple já registra mais de 7 milhões, sendo que lançou seu serviço na metade de 2015.

A polarização do mercado já causou vítimas nos últimos tempos. O Rdio, um dos pioneiros do segmento ao lado do Deezer, declarou falência no ano passado, fechando suas portas em dezembro.

Devido ao investimento, a companhia francesa largou de vez seu plano de fazer uma oferta pública de ações (IPO) para levantar fundos. Em setembro do ano passado a companhia anunciou planos de abrir seu capital, com a expectativa de levantar cerca de € 300 milhões.

"Acredito que essa decisão nos dá maior flexibilidade, o que é bom. Em um mercado como esse, você não quer ficar dependendo de um processo de IPO", afirmou o CEO Hans-Holger Albrecht, que não descarta retomar o plano daqui a 24 ou 36 meses.

Entretanto, vale lembrar que companhias como Deezer - ou até mesmo o Spotify - ainda estão distantes de se tornarem companhias lucrativas. Em 2015, o Deezer registrou no primeiro semestre perdas de € 8,9 milhões. Já em 2014 essa perda foi de € 12,8 milhões.

"Eu não tenho uma preocupação de lucratividade em relação ao longo prazo. Atualmente lidamos muito mais com crescimento e captura de mercado do que lucratividade", afirmou o CEO do Deezer.

Para o futuro, Albrecht acredita que quatro ou cinco players maiores dominarão o mercado, mas descartou que opções mais exclusivas como Tidal, produto lançado pelo rapper Jay-Z.

"A razão pela qual o mercado de streaming está crescendo e funcionando tão bem é que mantemos nossa proposta simples. No momento que partirmos para um plano de exclusividade, matamos o modelo comercial", finaliza o CEO.