Mxi é focada na indústria de aviação. Foto: divulgação.

A IFS, multinacional sueca de software de gestão empresarial, comprou a Mxi, uma companhia canadense especializada em soluções de manutenção inteligente e integrada para a indústria de aviação. 

O carro chefe da Mxi é o Maintenix, usado para gerir 11 mil assets de aviação, totalizando 20% da frota comercial e de defesa mundial, através do setor de defesa e operadoras de voos comerciais, empresas terceirizadas de manutenção, reparos e revisão (MRO), e empresas de manufatura de equipamentos originais (OMEs).

A base de clientes principais inclui: Southwest Airlines, Air France, KLM, Qantas, China Airlines, Icelandair, NetJets, Boeing, BAE Systems, Saab, Pratt & Whitney e algumas forças aéreas pelo mundo.

Em termos de Brasil ou América Latina, a presença parece ser mais modesta. A lista inclui a LATAM (resultado da fusão entre a chilena Lan e a brasileira TAM) e a panamenha Copa Airlines.

“A aquisição está alinhada com a estratégia de crescimento da IFS e a ambição de se tornar uma empresa líder no fornecimento de softwares de gestão empresarial para clientes globais nos segmentos de gerenciamento de ativos, de serviço e de produtos”, aponta Alastair Sorbie, presidente e CEO da IFS.

Aviação é um dos setores nos quais a IFS é mais forte, junto com energia, óleo e gás e manufatura complexa nas quais as empresas lidam com ativos que precisam ser gerenciados por longos períodos de tempo.

É aí que faz diferença a oferta dos seus sistemas de gestão somados a linhas de software de gerenciamento de ativos (EAM) e gestão de serviços (ESM), que permitem a esse tipo de clientes administrar seus negócios de maneira diferente do que fariam com base nas soluções de gestão da concorrência. 

A IFS fechou o ano passado com vendas de 3,3 bilhões de coroas suecas, algo cerca de US$ 372 milhões, uma alta de 5% frente aos resultados de 2014.