Sede do BNDES. Foto: Divulgação.

O Centro de Estudos do Ibmec (Cemec) detectou que os financiamentos do BNDES no país chegaram a 19,7% do total no segundo trimestre do ano. Essa taxa é um recorde, passando os 19,5% registrados em 2009.

Com isso, a fatia do banco aumentou na última década de 1% para 3,1% do PIB.

Essa participação, de acordo com publicação da Exame, tem parado o mercado de capitais e inibido o avanço de fontes de financiamento privado. 

Conforme o Cemec, o BNDES tinha, há 10 anos, somente 7,4% dos financiamentos e, nesse mesmo período, o mercado de capitais aumentou sua participação de 0,3% para 2,3% no PIB.

"O BNDES vem, recentemente, procurando contribuir para os mercados de capitais com fundos de investimento de longo prazo, lastreados em sua carteira", ressalta para a Exame Jerson Carneiro, professor do Ibmec-Rio.

O banco estimula a abertura de capital de organizações em que a BNDESPar tem ações e fomenta o mercado secundário de debêntures com um programa de aquisição desse tipo de títulos de R$ 10 bilhões. 

A Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) segue sendo baixa desde 2010, momento em que o investimento privado recuou para 15,7% no segundo trimestre, ante 16,9% de 2011.

O BNDES conta com participações em diversas empresas nacionais de tecnologia, como a Totvs e a gaúcha HT Micron - na qual aportou cerca de R$ 50 milhões para a construção de sua nova unidade de encapsulamento de chips, em São Leopoldo.