A Microsoft inaugurou, em Brasília, o Centro de Transparência da América Latina. Foto: Divulgação.

A Microsoft inaugurou, em Brasília, o seu primeiro Centro de Transparência da América Latina. O espaço foi construído para atender a necessidades específicas de segurança do setor público.

Os Centros de Transparência da Microsoft estão em quatro regiões do mundo. O primeiro deles foi lançado em 2014, na sede da empresa, em Washington. No ano seguinte, na Europa, foram inaugurados o de Bruxelas e o de Singapura. 

Agora, no Brasil, o novo centro atenderá aos governos de vários países da América Latina, incluindo Argentina, Chile, Colômbia e México. Ainda neste ano será aberto o ambiente da China, em Beijing.

Os centros de transparência são uma extensão do Programa de Segurança de Governo da Microsoft, que conta com a participação de cerca de 40 países e organizações internacionais.

A iniciativa proporciona aos participantes a oportunidade de revisar o código-fonte dos produtos Microsoft para atestar sua segurança. 

O programa também permite que os governos tenham acesso a informações relacionadas à segurança cibernética de programas da Microsoft com foco em inteligência, proteção contra malwares (ameaças online) e segurança para combater os crimes cibernéticos.

No Brasil, a parceria será estendida com a adesão ao Programa de Segurança do Governo pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, em protocolo de intenções assinado pelo Secretário de Tecnologia da Informação, Marcelo Pagotti.

“Governos, empresas e cidadãos da América Latina estão adotando a transformação digital e, diante da crescente sofisticação dos ataques cibernéticos, a segurança cibernética torna-se uma missão crítica. A nossa missão é empoderar cada usuário e organização no planeta para alcançar mais, e, para isso, precisam confiar na tecnologia que usam", afirma Cesar Cernuda, presidente da Microsoft para a América Latina.