Interface do Onlive, plataforma gamer na nuvem. Foto: flickr.com/photos/sobcontroller

Na sexta-feira passada, 17, a plataforma de jogos OnLive teve a sua venda anunciada ao grupo de investimentos Lauder Partners, com valores não divulgados. A informação é do site PCWorld.

O sistema que funciona através da nuvem, com games rodando nos servidores da empresa e transmitidos via internet até a casa do usuário, passava por dificuldades técnicas e ecnonômicas, além da concorrência de outros sistemas como o Gaikai.

A HTC, fabricante chinesa de smartphones e tablet, divulgou nesta segunda-feira,20, que registrou perda de US$ 40 milhões por conta da venda e restruturação do OnLive, no qual era investidora.

Em um documento enviado à Bolsa de Valores de Taiwan, a HTC disse que o OnLive completou sua restruturação na semana anterior por conta de "falta de dinheiro para a operação e incapacidade de levantar mais capital".

Os US$ 40 milhões de prejuízo vem do investimento da empresa no OnLive realizado em fevereiro de 2011, na tentativa de levar o serviço para seus aparelhos, que poderia rodar games com gráficos de alta qualidade nos smartphones.

Outros investidores da companhia são Warner Bros., Autodesk, Maverick Capital, AT&T e British Telecom. Com a reestruturação da empresa, funcionários foram dispensados, mas não se sabe o número de demissões.

Por conta dos altos custos de manutenção dos servidores e do serviço prestado, a empresa Onlive foi forçada a passar por uma reformulação, o que joga luz sobre a funcionalidade de aplicativos mais pesados na nuvem.

A necessidade de altíssimas velocidades e conexões consistentes de banda larga ainda é um problema para jogar via nuvem, aponta o site norteamericano IGN.