A Telebras assinou na última semana um acordo de parceria com a Coprel. Foto: Divulgação.

A Telebras assinou na última semana um acordo de parceria com a Coprel (Cooperativa de Energia do Rio Grande do Sul). A parceria levará banda larga a seis municípios do interior do estado: Ijuí, Passo Fundo, Ibirubá, Mato Castelhano, XV de Novembro e Cruz Alta. 

A iniciativa faz parte do Programa Nacional de Banda Larga (PNBL) e tem o objetivo de proporcionar a melhoria dos serviços municipais, além de constituir uma oportunidade para as empresas explorarem mercados em comum. A ação integra o posicionamento estratégico da Telebras, que passa a firmar parcerias com provedores.

Para o presidente da Telebras, Jorge Bittar, há um interesse especial dos jovens nesse projeto, já que atende a anseios de informação, cultura e educação. Além disso, Bittar vislumbra a iniciativa como fator de retenção nas cidades envolvidas, ou seja, evitando a migração dos jovens.

O presidente da Coprel, Jânio Vital, ressalta que o acordo é de extrema importância, pois proporcionará o compartilhamento de fibras de municípios importantes da região. 

“Teremos redundância e levaremos fibras para locais em que elas ainda não existem”, afirmou. 

Para o projeto, a Telebras fornecerá cabos ópticos e caberá à Coprel lançá-los, realizar o projeto e licenciamento da rede entre os municípios, bem como a manutenção. Com sede em Ibirubá, no interior do RS, a organização atende a mais de 48 mil famílias nos 19.740 km² de sua permissão. 

A cooperativa uniu famílias rurais que viviam à margem do desenvolvimento, sem expectativas de que a energia elétrica chegasse às comunidades rurais. Hoje, possui 17.714 quilômetros de redes elétricas, sustentados por 175.027 postes. 

Instituído pelo Decreto 7.175/2010, o PNBL objetiva fomentar e difundir o uso e o fornecimento de bens e serviços de tecnologias da informação e comunicação. Assim, se pretende massificar o acesso a serviços de conexão à internet em banda larga, acelerar o desenvolvimento econômico e social, reduzir desigualdades e ampliar os serviços de Governo Eletrônico.