"Eu vou ficar com meu palheiro, obrigado". Foto: flickr.com/photos/bombeador

Tamanho da fonte: -A+A

O presidente do Uruguai, José Mujica, da esquerdista Frente Ampla (FA), deve apresentar na noite desta quarta-feira, 20, um plano de 16 medidas para combater a violência no país que inclui a legalização da maconha.

Segundo informações da imprensa uruguaia, o plano é cadastrar os usuários da droga no país e vender o produto em lojas controladas pelo governo para usuários cadastrados, com um limite mensal de 40 cigarros.

Seria o primeiro país da América Latina a aprovar uma lei do gênero.

A ideia é evitar que os usuários de maconha sejam introduzidos a drogas mais pesadas ao comprar o produto de traficantes.

O estado exerceria o controle de qualidade e sobretaxaria os cigarros com um imposto destinado à reabilitação de dependentes químicos.

Como parte do pacote de medidas, o Executivo pretende também estabelecer controles sobre os meios de comunicação para evitar que sejam transmitidas imagens violentas nos noticiários de televisão, acrescentaram as fontes consultadas pela Efe.

O texto ainda precisará passar por votações no Senado e na Câmara dos Deputados..

No país, de 3,3 milhões de habitantes, existem 150 mil consumidores de maconha, quase 4,5% da população.

Segundo um estudo realizado pelas Nações Unidas em 2010 quase um de cada quarto delitos cometidos por adolescentes reclusos em centros de menores no Uruguai estiveram vinculados ao consumo de álcool ou drogas.

O último levantamento realizado pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (SENAD) sobre o uso da maconha no Brasil, em 2005, revelou que 8,8% da população brasileira já consumiram a droga alguma vez na vida.