GESTÃO

Santa Catarina investe em BIM

20/02/2014 14:53

BIM promete baratear obras públicas. Foto: flickr.com/photos/agecombahia

Tamanho da fonte: -A+A

O governo de Santa Catarina começou a fazer um movimento para incluir projetos desenvolvidos com sistemas de informações do modelo de construção (BIM, na sigla em inglês) como um requisito em compras públicas.

Com o BIM, vencedores de licitações públicas precisam apresentar em forma eletrônica, detalhada e em tempo real, todo o ciclo de vida de uma construção, da arquitetura à execução final.

O fluxo de dados inclui gerenciamento, processos construtivos, fases de trabalho e suas quantificações, orçamento e custo da obra com alta precisão. 

A abordagem é uma evolução do trabalho de design dos projetos em sofwares de CAD 3D para arquitetura. No entanto, o governo catarinense terá uma abordagem cautelosa na adoção da novidade. 

Em março, a Secretaria de Planejamento do Estado promoverá um seminário para engenheiros e arquitetos apresentando o conceito e lançando os dois primeiros editais com uso de BIM, para a construção do Instituto do Coração, em São José, e uma ampliação do hospital de Joinville. 

O termo de referência usado pelo governo catarinense foi elaborado por técnicos do governo catarinense, com apoiod a MaxiCAD, uma revenda gaúcha das soluções de CAD da Autodesk, líder na área de arquitetura, e da consultoria especializada em BIM paulista Coordenar.

São obras relativamente pequenas. O  Instituto do Coração deve ter 20 mil metros quadrados. Já a reforma em Joiville inclui três alas de internação, do centro cirúrgico e do centro de materiais com custo na faixa dos R$ 6 milhões.

“Por enquanto é inviável exigirmos esta tecnologia para todos os editais por falta de conhecimento dos profissionais”, explica o secretário de planejamento Murilo Flores. “Com o fomento da ferramenta será possível, aos poucos, torna-la uma exigência”, completa.

O governo tem feito movimentos lentos para fomentar a adoção de BIM, principalmente em nível federal pelo menos desde 2007.

Em agosto do ano passado, Marcos Otávio Bezerra Prates, diretor do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), afirmou durante um seminário especializado que o ministério estava concluindo um projeto para que, em 2014, esteja no ar um portal na web inteiramente dedicado ao BIM.

Elaborado em parceria com o Exército e outros órgãos governamentais, o portal consolidará as principais informações relativas a todos os aspectos relacionados com a construção civil, contando, principalmente, com uma série de manuais práticos para o uso do BIM. 

O projeto do MDIC envolve também a criação de uma biblioteca virtual que reunirá informações com todos os parâmetros relativos ao setor da construção civil.

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), órgão com orçamento anual de R$ 20 bilhões, vem fazendo ruídos desde 2012 sobre adotar o BIM como requisito obrigatório em licitações.

A intenção era que isso ocorresse já nos leilões das rodovias federais 040 e 116, que estavam marcados para o final de janeiro de 2013, mas a ideia foi adiada e não houve mais novidades sobre o assunto..

Até agora, no entanto, somente a Petrobras solicita em contrato, com frequência, a entrega de projeto executivo em plataforma BIM.

Veja também

Dicico: franquia no varejo para construção

A Dicico, marca do setor varejista com de 2% de market share e faturamento estimado em R$ 800 milhões em 2010, abre nesta quinta-feira, 01, a primeira franquia do varejo para material de construção, na cidade de Vinhedo, no interior de São Paulo.

De acordo com o site Meio e Mensagem, a expectativa da rede, hoje com 55 lojas em São Paulo, é ampliar o faturamento em R$ 1 bilhão até o fim desse ano, a partir do modelo de franquias.

Autodesk: BIM avança no Brasil
O conceito de modelagem de informações da construção (BIM, na sigla em inglês) na qual obras de construção são geridas dentro de um workflow controlado por software já está instalado entre as líderes de mercado no Brasil e deve começar a se propagar pelo setor como um todo.
 
Autodesk e Pitney Bowes: parceria em BIM

A Autodesk e a Pitney Bowes firmaram uma aliança para fornecimento de serviços e soluções coordenados com foco em empresas de arquitetura, engenharia e construção (AEC).

A parceria combina a especialização da Autodesk em soluções para projeto, engenharia, construção e BIM, com o expertise da Pitney Bowes em sistemas GIS.

CIDADE PEDRA BRANCA
Nuvem: construção civil sustentável

O grupo Cidade Pedra Branca, construtora e incorporadora de Palhoça, em Santa Catarina, apostou no Office 365.

PARCERIA
Mega e Teclógica: força na construção

Empresas aliam sistema de gestão de construção civil da fornecedora paulista ao aplicativo móvel da catarinense para conquistar pelo menos 200 novos usuários no primeiro ano da parceria.

FALA EX-MINISTRO
Maílson: Brasil não anda nem desanda

País deve manter o ritmo de pibinhos, na faixa dos 2%, mas sem cenário mais caótico de crise cambial.

SOFTWARE PÚBLICO
Canoas implanta Simec

Prefeitura assinou um contrato de R$ 370 mil para implementar sistema de gestão pública.