UX

Advogada fica presa em caixa automático

19/12/2018 07:10

Caixa apagou às 22h com mulher dentro em Porto Alegre. Foi preciso chamar os bombeiros.

Clédia ficou uma hora presa no caixa do Bradesco.

Tamanho da fonte: -A+A

Uma mulher ficou presa por uma hora dentro de um espaço de caixas eletrônicos do Bradesco em Porto Alegre neste sábado, 15, precisando ser resgatada pelos bombeiros.

A advogada Clédia Maria Padilha Nunes havia acabado de sacar R$ 70 no caixa quando as luzes se apagaram, o ar-condicionado desligou e as portas se trancaram. 

Eram 22h, hora na qual os caixas eletrônicos deixam de funcionar por motivos de segurança, uma dessas coisas meio absurdas com as quais o sujeito se acostuma.

A situação a partir daí pode ser analisada como um case dos problemas de experiência de usuário (UX, para usar a sigla malandra em inglês) de um caixa do Bradesco, e, quem sabe, de todos os outros bancos, que no final das contas de estruturas muito similares.

Para começar, já é possível descartar a existência de um sistema de detecção de movimento que impeça o caixa de desligar com alguém dentro (vamos combinar, caso isso existisse, o caixa seria uma residência e tanto para moradores de rua).

Depois, o botão automático de abertura não funcionava. Estaria o botão quebrado, ou ele também deixa de funcionar quando o caixa é desligado, por default?

A advogada pode ter considerado essa questão, enquanto o calor aumentava. Às 22h do sábado, a temperatura era de 25 graus.

Clédia estava sem seu celular, o que nos priva de saber o que teria acontecido caso ela tivesse ligado para o 0800 do Bradesco, ou para a sua gerente. Também não há interfones ou botões de emergência no caixa.

Um homem do outro lado da rua reparou nos pedidos de ajuda de Clédia e ligou para a polícia, que recomendou ligar para os bombeiros. Eles chegaram no local 45 minutos depois e arrombaram a porta.

A Zero Hora, que nos trouxe esse épico urbano, procurou o Bradesco, mas a comunicação do banco preferiu não se manifestar à imprensa antes de averiguar detalhes do acontecimento.

Provavelmente seja melhor esperar sentado a resposta do mistério de se o botão estava estragado ou simplesmente para de funcionar.

Interessados pelo tema de IoT e automação predial podem especular o que seria necessário para construir um caixa que não prendesse clientes dentro, em um segmento da economia com os maiores orçamentos disponívies em tecnologia. Talvez algo envolvendo blockchain?

A advogada, enquanto isso, já disse que vai processar o Bradesco.

Veja também

DINHEIRO
Bradesco: transferência com blockchain

No modelo atual, uma transferência internacional pode levar até 2 dias para ser concluída.

CARREIRA
Saque e Pague tem novo diretor de TI

Marcello Veronese fez carreira no HSBC, onde atuou por 20 anos.

BANCO
Caixa testa assistente de voz com Google

A versão inicial, disponível no Google Assistentepresenta os resultados da Loteria.

FINTECH
Next, do Bradesco, lança transação por voz

O recurso utiliza a assistente Siri para transferência entre contas.

PARCERIA
Bancos se unem por blockchain

Banrisul, Banco do Brasil, Caixa, Santander e Sicoob colaboram em experimentos com a tecnologia.

STARTUPS
Banrisul terá fundo de R$ 50 mi para fintechs

O Banrisul aportará R$ 25 milhões e buscará o restante com parceiros e apoio da Gama Investimento.