Operadores na Bovespa. Foto: flickr.com/photos/rednuht

O provedor de telecomunicações americano Perseus Telecom abriu as portas no Brasil com foco em um mercado ultra nichado: conexões de acesso aos servidores da Bovespa, em São Paulo.

A companhia deve investir US$ 10 milhões nos próximos cinco anos para oferecer por aqui o LiquidPath, que promete uma latência de conexão de 20 microssegundos.

Um microssegundo é uma milionésima parte de um segundo, mais ou menos o tempo que leva para uma mãe perceber que o filho está mentindo.

Os 20 microssegundos de conexão unidirecional ou de 40 microssegundos para serviços que exigem respostas (ida e volta), quebram a barreira dos 600 microssegundos (0,6 ms) encontrados nas operadoras de mercado nos dias de hoje.

A solução está sendo hospedada nos data centers da Alog Data Centers do Brasil, provedora de infraestrutura de TI que faz parte da plataforma Equinix, localizados no centro de São Paulo e em Tamboré, em São Paulo.

Por trás do investimento está a alta no país do chamado trading algorítmico, no qual as corretoras fazem compra e vendas de ações visando lucrar com variações em curtos prazos de tempo. Nesse cenário, os microssegundos fazem toda a diferença.