VALE-PRESENTE

HFPX compra startup de gift cards

19/12/2012 14:24

Fundo de capital semente joinvilense faz aporte em plataforma online para emissão, controle e distribuição de vale-presente.

Hugo Fabiano Cordeiro, o CEO da HFPX. Foto: Divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

A HFPX, fundo de capital semente fundado este ano em Joinville, acaba de realizar um aporte na startup Giver, que mantém uma plataforma online para emissão, controle e distribuição de vale-presente.

Uma aposta do fundo catarinense em um mercado que só na América Latina movimentou US$ 20 bilhões em 2011, e, segundo o CEO da HFPX, Hugo Fabiano Cordeiro, deverá saltar para US$ 110 bilhões em 2021.

A Giver administra redes de gift cards chamadas de "closed loop", ou seja, cartões personalizados com a marca do varejista, que permitem seu uso somente dentro daquela rede.

A startup terceiriza todas as funções referentes ao vale-presente de varejo, desde a concepção do modelo de negócios, passando pela operacionalização, distribuição e venda, até o atendimento ao consumidor final.

A plataforma já opera no Paraná, Santa Catarina e Goiânia desde novembro de 2011. Com o aporte da HFPX, está na mira a expansão para todo o varejo nacional.

“Os vales-presente podem ser usados para conquistar e fidelizar clientes, recompensar funcionários, realizar campanhas de incentivos etc. Podem ser comprados diretamente nas lojas físicas, via site, Facebook, celular e pontos de vendas distribuídos pelo Brasil”, ressalta Cordeiro.

A HFPX foi lançada em março deste ano, com fundo total de R$ 20 milhões e meta de apoiar oito startups em 2012, com aportes entre R$ 100 mil e R$ 5 milhões, cada.

A Giver acaba de se tornar a quarta investida do fundo de venture capital, que já aportou nas paranaenses Foome, plataforma de delivery online, e Mecasar, site para organizar casamentos; além da catarinense Área Central, ferramenta para gerenciamento de centrais de compras.

O fundo também abriu, no mês passado, uma unidade em Curitiba.

“Apostamos na cidade devido ao alto poder aquisitivo e de exigência de qualidade da população, além de ser uma das sedes da Copa do Mundo em 2014", finaliza Cordeiro.

Veja também

EXPANSÃO
HFPX abre unidade em Curitiba

Fundo de venture capital de Joinville abre na capital paranaense, onde investiu em duas startups e projeta uma terceira para as próximas semanas.

VENTURE CAPITAL
HFPX faz terceiro aporte em um mês

Fundo de Joinville investe na Área Central, ferramenta online para gerenciamento de centrais de compras.

TÁ COM FOME?
Catarinense HFPX faz aporte no Foome

Aporte faz parte dos planos do fundo joinvilense de investir em até dez companhias este ano, com ações entre de R$ 100 mil a R$ 5 milhões cada.

ALÔ, START UPS!
Joinville tem fundo de venture capital

Dentro de 30 dias, entra em operação em Joinville um novo fundo de venture capital para start ups de TI: a HFPX, que nasce com caixa inicial de R$ 20 milhões em recursos próprios e meta de investimento em dez companhias este ano.

 

O negócio é liderado por Hugo Fabiano Cordeiro, ex-CEO e fundador da Microvix, empresa também joinvilense de TI para o varejo, com faturamento estimado de R$ 19,6 milhões em 2012, que no início deste ano foi vendida para o Grupo Linx por valor não revelado.

DESENVOLVIMENTO
Governo Federal: R$ 40 mi para 150 startups

Além do aporte financeiro, programa dará apoio em marketing, vendas e suporte legal.

VEJO AO VIVO
Startup põe cidades online em tempo real

Site mostra live feeds (vídeo ao vivo) de cidades brasileiras, abrangendo 19 delas em cinco estados.

ANJOS CONTRA FRAUDES
Startup cria serviço protetor de CPFs

Serviço web permite que lojistas e consumidores possam detectar em tempo real se seu CPF está sendo fraudado.

EMPRESAS
Brasil com três no 500 Startups

Americana selecionou 33 para programa de fomento. Brasileiras: Mimpi, Qual Canal e Cuponomia.

MEIA FURADA?
Startup entrega meia em casa

Namoradas, esposas e homens não adeptos do shopping, animai-vos: startup gaúcha resolve o problema.

COMPRA SOCIAL
DBR.ag investe R$ 600 mil em startup BOS
Agência digital investe em startup com meta de faturar R$ 9 milhões em dois anos.