Lançamento da Frente de TI na Câmara de Porto Alegre. Foto: Ederson Nunes/CMPA

Porto Alegre passou a contar com uma frente parlamentar de Inovação e Tecnologia liderada pelo vereador Valter Nagelstein (PMDB).

O ato de lançamento aconteceu na sexta-feira, 15, com a presença em peso de representantes do setor de TI.

Um dos primeiros objetivos da frente deve ser ações que viabilizem a implantação, na prática, do Fundo de Inovação e Tecnologia de Porto Alegre (FIT/POA), já previsto em legislação.

O fundo faz parte da Lei de Inovação de Porto Alegre, aprovada em 2013, que previa também isenções fiscais para empresas de tecnologia.

A composição e destinação do fundo ainda não foram regulados e as isenções não entraram em funcionamento.

O presidente do Seprorgs, Diogo Rossato, destacou outras pautas como a reformulação da política em torno revitalização do Quatro Distrito, o mapeamento da malha de fibra óptica em Porto Alegre, ações para tornar a cidade uma smart city e a inclusão obrigatória da disciplina de computação e empreendedorismo na grade do Ensino Fundamental.

“Temos que, de forma sinérgica, trabalhar junto com o executivo e com as entidades, academia e empresas, que são quem faz acontecer, para transformar Porto Alegre no que queremos: a capital da alta tecnologia no país”, destacou Nagelstein na abertura da mesa.

Nagelstein é um nome representativo na política de Porto Alegre, tendo sido eleito três vezes para vereador como o candidato mais votado do PMDB (uma tentativa de emplacar como deputado estadual não foi bem sucedida nas últimas eleições, no entanto).

Em tese, uma frente parlamentar é um veículo para articular a aprovação de legislação relativa a um tema. Isso acontecer na prática, no entanto, depende da capacidade de mobilização dos nomes envolvidos e do setor por detrás da frente.

Caso contrário, uma frente serve muitas  vezes apenas para os deputados marcarem posição sobre temas frente a eleitorados específicos.

No começo do ano foram criadas 11 frentes, indo de temas como saúde do homem até doação de órgãos, passando por artesano e economia solidária, cooperativismo e empreendedorismo.

É uma frente para cada três vereadores da cidade, que elege 36 representantes para o seu legislativo.

Além do Seprorgs, estiveram presentes no lançamento entidades como Assespro-RS, Associação Gaúcha de Startups, Internetsul, Sucesu-RS, Associação Software Livre.org, Softsul, Abradi-RS e universidades como Unisinos e PUC-RS, que tem parques tecnológicos operando na cidade ou imediações.

Diversidade de entidades representativas é uma especialidade da TI gaúcha que poucas vezes se traduz em muita influência política, então talvez seja mais promissor olhar quem compareceu pelo lado da administração pública.

Essa lista incluiu o vice-prefeito Gustavo Paim, o secretário da Fazenda de Porto alegre, Leonardo Busatto, os vereadores Felipe Camozzato (Novo) e Ricardo Gomes (PP), e o presidente da Procempa, Paulo Miranda.