Fernando Otani. Foto: divulgação.

A Sky, conhecida por seu serviços de TV por assinatura via satélite, quer acelerar sua base de clientes em seu serviço de banda larga. Para isso a empresa ativou esta semana sua operação no Rio Grande do Sul.

A oferta Sky Banda Larga, que já tem presença em cerca de 95 cidades em 22 estados, soma agora as cidades de Novo Hamburgo, São Leopoldo e Sapucaia do Sul, as três na região metropolitana de Porto alegre. As cidades são as primeiras a ter acesso ao serviço de internet fixa da operadora no estado.

Segundo Fernando Otani, diretor de Banda Larga da Sky, o Rio Grande do Sul é visto com um motor importante de ampliação da base de assinantes do serviço de banda larga, que nacionalmente já tem 190 mil assinantes.

"Desde o nosso lançamento há um ano e meio, registramos um crescimento de dois dígitos percentuais ao mês, e o Rio Grande do Sul terá papel importante nisso", afirmou o executivo.

Na região sul, a empresa já tem o serviço na cidade de Paranaguá, no Paraná, e deve entregar até o final do ano o serviço em algumas cidades de Santa Catarina. O plano da companhia é chegar a 300 mil clientes no final de 2015.

De acordo com o diretor, a escolha por cidades na periferia da capital foi para atender uma demanda na região, que ainda tem deficiências na cobertura cabeada de banda larga.

Vale lembrar que o serviço da Sky é baseado na tecnologia LTE TDD, que usa um sinal concentrado de banda larga móveis - semelhante ao 4G - atendendo a regiões específicas dentro de cada cidade.

Entretanto, os pacotes oferecidos pela Sky Banda Larga se restringem a velocidades de 2Mb e 4Mb, números modestos em relação a outras empresas que já tem ofertas de até 100Mb.

"Nosso foco principal não é o de oferecer a maior velocidade, e sim levar a tecnologia para quem ainda não possui banda larga, entregando um produto confiável", complementou Otani.

O executivo não revelou o valor dos investimentos em antenas e infraestrutura para a oferta inicial nas cidades, nem os bairros em cada município que terão a tecnologia, mas destacou que clientes da empresa elegíveis para a tecnologia já estão sendo contatados.

"Além disso, focaremos em uma estratégia de marketing para mostrar ao público a nossa presença e conquistar novos clientes. Para saber se o serviço está disponível, basta entrar em nosso site e digitar o CEP da residência", explicou o diretor.

Para o vice-presidente de Banda Larga da SKY, Edison Kinoshita, os três primeiros municípios a ter o serviço no estado servirão como um termômetro para os planos da companhia no estado.

Conforme explica Kinoshita, à medida que a demanda for crescendo a empresa deve aumentar seus investimentos nas três cidades, assim como levar o produto para outras regiões do estado.

"Embora seja inevitável que isso ocorra, não é nosso foco entrar em concorrência com players de banda larga cabeada. Queremos levar a tecnologia para cidades e regiões que ainda estão deficientes neste setor. Esta é nossa aposta para crescimento", avalia o VP.

Segundo dados da Anatel, o potencial deste mercado ainda é grande. O índice nacional de penetração de banda larga ainda é pequeno em relação ao restante do mundo, com um percentual de 38% - em países desenvolvidos esse percentual passa dos 50%.

"Vale salientar que a grande concentração deste número está nas capitais e regiões metropolitanas. Por ser uma tecnologia diferenciada, que entrega banda larga sem fio ao cliente, acreditamos que ela tenha um grande potencial para cidades do interior do país", finalizou Kinoshita.