Curitiba tem um projeto-piloto com a Aeroimagem, com sistemas da Here/Nokia. Foto: Jaelson Lucas/SMCS.

A Prefeitura de Curitiba está testando uma nova tecnologia para a área de trânsito baseada na coleta de imagens aéreas da cidade. O projeto-piloto é da empresa curitibana Aeroimagem, que utiliza sistemas da Here/Nokia, provedor de imagens de tráfego.

O equipamento mapeia diversas informações de uma via, como placas de trânsito, semáforos, postes, cabeamentos, árvores. O teste, que começou em maio, não terá custo para o município.

“Continuamos a busca de inovações para o trânsito de Curitiba. Nesse primeiro momento, o projeto-piloto vai indicar as condições da sinalização de trânsito da cidade, e pode nos ajudar a verificar quais locais precisam de reforço na sinalização”, diz a secretária municipal de Trânsito, Luiza Simonelli.

A partir de um carro que circula pelas ruas da cidade, a tecnologia fotografa o percurso em 360 graus e faz uma varredura laser sobre o trecho percorrido. O projeto-piloto é focado no levantamento georreferenciado dos elementos ao nível da rua, inicialmente na sinalização horizontal e vertical (pinturas no pavimento, placas, semáforos) das principais vias de Curitiba.

“Os dados levantados serão integrados em uma ferramenta de gestão online. Será possível não somente monitorar, retirar medidas precisas e cadastrar os referidos ativos, mas também gerenciar os mesmos dados em uma plataforma web”, diz o gestor de negócios da Aeroimagem, Sergio Laskoswski. 

A plataforma que abrigará os dados cadastrados será o SITGeo, ferramenta de gestão cadastral georreferenciada desenvolvida pela empresa. O carro da Aeroimagem está fazendo os registros das vias de Curitiba desde o fim de maio. 

No total, o projeto-piloto terá duração de 120 dias. Até o fim de setembro, as imagens captadas deverão estar disponíveis para a comissão de análise de projetos da Secretaria Municipal de Trânsito, composta por membros da secretaria, da Universidade Federal do Paraná e da Universidade Positivo.

Em outubro de 2013, a Secretaria Municipal de Trânsito (Setran) publicou portarias convocando empresas a apresentarem novas tecnologias para o trânsito em Curitiba. Desde então, a cidade vem realizando projetos-piloto com as selecionadas. 

A empresa já testou ferramentas ligadas à transporte coletivo, estacionamento e mobilidade urbana.

O Here detém mais de 80% do mercado global de sistemas de navegação para automóveis, e gasta centenas de milhões de dólares a cada ano para atualizar seus mapas.

Em 2014, a unidade registrou receita de US$ 1,1 bilhão, menos de 8% do total de vendas da Nokia no ano. A unidade conta com cerca de 6 mil funcionários.