APORTE

Empiricus investe em marketplace de cientistas de dados

19/05/2021 10:36

A empresa fazia parte da sociedade da Cognitivo.ai, agora assumida e incrementada pelos seus sócios.

Rodolfo Amstalden, cofundador da Empiricus. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

Os sócios da Empiricus, paulistana especializada em informações financeiras e conteúdos de investimentos, participaram de uma rodada de investimentos de R$ 2,4 milhões para ficar com cerca de 14% da Cognitivo.ai, um marketplace de profissionais de dados e inteligência artificial. 

Rodolfo Amstalden, cofundador da Empiricus, ficou com a maior parte dessa participação, da qual também fazem parte nomes como Caio Mesquita, CEO da empresa, e André Kiss sócio-diretor de marketing digital, entre outros.

Além deles, participaram da rodada os fundos de investimento da consultoria Visagio, Next da A&M e Allievo. 

Criada em 2017, a Cognitivo.ai seleciona, aloca e gerencia profissionais sob demanda para a resolução de problemas de negócio por meio de projetos de dados. 

A proposta é, em cerca de duas semanas, entender o problema de negócio da empresa cliente, transformá-lo em um problema de dados, arquitetar uma solução e montar um time de especialistas para implementá-la.

Nas semanas seguintes, o time, criado a partir da comunidade de profissionais da Cognitivo, entrega e monitora a performance da solução de dados, que deve se tornar um ativo.

A comunidade da Cognitivo.ai conta com mais de 800 profissionais que, segundo a companhia, são rigorosamente selecionados — com apenas 4% passando no corte. Nela, estão desde professores de matemática da FGV até cientistas de dados do MIT, Stanford e USP. 

A ideia é oferecer aos clientes profissionais que, de outra forma, a maioria das empresas não teria acesso ou recursos para mantê-los suficientemente desafiados e engajados em uma equipe interna.

Em pouco mais de três anos, cerca de 150 desafios de dados foram realizados por meio do gerenciamento da Cognitivo.ai, inclusive em companhias como Linx, Rock Content, MaxMilhas, Globo Play, Magalu, Alelo e Grupo Fleury, além da Empiricus — com taxa de sucesso na casa dos 80%.

O relacionamento da startup com a Empiricus começou há cerca de cinco ou seis anos, quando a empresa contratou o Raul Magno e o Evandro Lopes, fundadores da Cognitivo.ai, para um projeto de estruturação de dados e geração de analytics.

Em 2017, quando os dois comunicaram que estavam dispostos a montar um novo negócio, mais estruturado, e que estavam procurando sócios para o que hoje é a Cognitivo.ai, a Empiricus se ofereceu como pessoa jurídica para se tornar sócia da nova startup.

As companhias ficaram alguns anos nessa relação e, no final do passado, os sócios da Empiricus optaram por tirá-la dessa participação, deixando o investimento com as pessoas físicas que tivessem mais interesse no negócio.

Segundo Rodolfo Amstalden, cofundador da Empiricus, o grupo teve dois grandes argumentos para continuar apostando na Cognitivo.ai: a ideia do negócio e sua admiração por Magno e Lopes.

“Quando você está investindo em uma startup, você está basicamente investindo em pessoas. Ela ainda não é um corpo constituído. Então, se alguma das ideias que ela testa deu errado e você confia nas pessoas, você sabe que elas vão voltar a operação de forma a corrigir aqueles problemas originais e buscar outras soluções”, explica Amstalden. 

O executivo conta que é responsável pelo departamento de RH da Empiricus e percebe a dor dos departamentos de recursos humanos, principalmente no Brasil, para conseguir recrutar equipes qualificadas de cientistas de dados.

“Essa é uma demanda que explodiu nos últimos anos. Não tem gente suficiente no mercado e a gente não vê uma solução para isso em curto prazo. Não é de um dia pro outro que vai começar a nascer um monte de curso de graduação e o modelo da Cognitivo, para atacar esse problema, é maravilhoso”, avalia o cofundador da Empiricus.

Segundo Amstalden, a Cognitivo.ai foi a única startup investida pela Empiricus enquanto empresa e, provavelmente, será a única. 

No final do ano passado, a corretora comprou o Real Valor, aplicativo de consolidação de carteiras de investimento, mas como um ativo estratégico, não como um aporte de capital.

Fundada em 2009, a Empiricus tem sede em São Paulo e atua basicamente oferecendo conteúdos sobre investimentos para pessoas físicas sem vínculos com instituições financeiras. Com 30 analistas em sua equipe e 24 planos, a empresa conta com mais de 350 mil assinantes.

Veja também

LOGTECH
Randon Ventures investe na TruggHub

A corporate venture liderou uma rodada de investimentos de R$ 1,4 milhão na startup curitibana.

LGPD
Inovação digital deve seguir conceito Privacy by Design

Velocidade da expansão dos ambientes digitais e leis de privacidade trazem desafios.

ABORDAGENS
Integrar customer e employee experience é o caminho

Uma coisa passa pela outra, no final. Colocar em prática exige métricas comuns.

FINTECH
Dança das cadeiras na Ebanx

Fintech de destaque reorganiza cargos de fundadores e traz um CFO de peso.

GESTÃO
DGT investe R$ 100 mil em ERP da Cigam

Implementação começou há pouco mais de um ano e está sendo realizada de forma gradual.

ACELERAÇÃO
Empresas Randon procura startups gaúchas

O programa Startup Creator está com inscrições abertas até o dia 15 de maio.

CONSOLIDAÇÃO
Scala leva data center da Algar Tech

Segue a consolidação dos data centers no Brasil. Scala vai gastar R$ 2 bi até 2022.

SAÚDE
SulAmérica tem novo VP de projetos estratégicos

Com 27 anos de carreira, Maurício Quinze é fundador das startups Coalizi e Quicko.

STARTUPS
Janguiê Diniz é o novo sócio da Bossanova

Experiente em investimentos, o fundador do grupo Ser Educacional adquiriu 25% da micro venture capital.

VERBA
Sensorweb: projeto com R$ 1,52 mi da Finep

A empresa está desenvolvendo um sistema de gestão de alerta para dispositivos de IoT em saúde.