Alberto Menache.

A Linx fechou mais uma aquisição focando postos de combustíveis, lojas de conveniência e food service.

O negócio da vez foi a Rezende Sistemas, uma companhia sediada em Uberlândia, Minas Gerais, com 4,5 mil clientes e faturamento de R$ 18 milhões em 2013. 

Segundo fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), serão investidos R$ 49,9 milhões na compra. 

Do total, R$ 42 milhões serão pagos à vista e os R$ 7,9 milhões restantes estarão sujeitos ao atingimento de determinadas metas financeiras e operacionais em 2014 e 2015.

“É um investimento importante em duas verticais estratégicas para Linx, postos de combustíveis e food service”, ressaltou Alberto Menache, diretor presidente da Linx. 

Esta é a quarta compra da Linx de olho nesses mercados.

Em novembro do ano passado, a empresa comprou a  LZT, de Blumenau,  e o software de gestão SSG Premium da Ionics de Florianópolis. O faturamento da LZT em 2012 foi de R$ 7,6 milhões. 

Ambas companhias atendiam o mercado de postos de combustíveis. Somadas, ambas compras poderiam totalizar até R$ 42,5 milhões, revelou a Linx na época.

Em março, foi a vez da Seller Corp, empresa com sedes em  Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro também especializada no segmento. O faturamento bruto da companhia em 2012 foi de R$ 9,9 milhões. 

Toda essa atenção tem seus motivos. Segundo Menache, o executivo, o forte consumo da nova classe média, as refeições fora do lar e o aumento nas vendas de veículos mostram que os setores são tendências com enorme potencial para os próximos anos.

De acordo com o Relatório 2013 do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes só o segmento das lojas de conveniência dos postos de combustíveis teve um crescimento de 14,7%.

Segundo dados da Fecombustíveis (Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes), o faturamento com a venda de combustíveis, em 2012, registrou alta de 10%, totalizando R$ 244,4 bilhões. Com isso, o setor ampliou sua participação no PIB brasileiro para 5,55%.

Já a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) indica que, ao final de 2011, havia 39.027 postos de combustíveis operando no Brasil.

A Linx tem dinheiro em caixa para seguir comprando. Em fevereiro, de 2013, a companhia abriu capital no Novo Mercado da Bovespa, captando R$ 528 milhões e anunciou que 80% dos recursos destinados ao caixa seriam destinados a aquisições.

Os resultados tem respondido às compras em série. A companhia fechou o ano passado com lucro de R$ 62,4 milhões, mais que o triplo dos R$ 17,3 milhões de 2012. 

A receita operacional bruta foi de R$ 331,3 milhões em 2013, um aumento de 27,9% frente aos números do ano anterior. A margem bruta, depois de custos ficou praticamente estável, em 71,6%.

A Linx conta com mais de 1,5 mil colaboradores, distribuídos na matriz, filiais e escritórios em Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Jaboticabal e São Carlos, além de canais de distribuição no Brasil e no exterior. 

A carteira de atendidos traz mais de 12,7 mil varejistas.